Negligência e desassistência: Yalorixá denuncia prefeitura de Lauro de Freitas na Bahia

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A Yalorixá Thiffany Odara, do terreiro Oyá Matamba denuncia negligência, desassistência e intolerância religiosa da prefeitura municipal de Lauro de Freitas, na Bahia. De acordo com a mãe de santo, tudo começou com um problema de saneamento básico que existe há mais de 20 anos no local.

Em gravações feitas no dia 30 de novembro, e enviadas ao Notícia Preta, é possível ver que em 20 minutos de chuva, todo o entorno da localidade ficou totalmente alagado. Segundo Thiffany, o motivo das inundações que ocorrem há mais de 20 anos é a poluição do canal Dois Irmãos, trecho do rio Joanes.

Vídeo feito na última segunda-feira (30), no terreiro – Crédito: Divulgação

“Na frente do terreiro existe este trecho do rio Joanes e Lauro de Freitas é uma cidade cortada por cinco rios que literalmente estão poluídos”. Ela continuou informando que o bairro não possui saneamento básico, o córrego é aberto e os esgotos das casas são despejados no rio. “Aí acontecem diversas enchentes toda vez que chove. Então 50% a 60% do terreiro é afetado pela chuva por conta da falta de infraestrutura e da falta de escoamento, que na cidade não tem”, disse a Yalorixá.

Para haver uma resolução do problema, a mãe de santo já abriu protocolos de reclamação na ouvidoria municipal, entrou em contato diversas vezes com a prefeitura e também abriu um processo jurídico. Ela também conta que já houve diversos prejuízos financeiros pela perca de moveis e demais objetos, causados pelo alagamento.

Intolerância religiosa contra a Yalorixá

Segundo Thiffany , a situação de desassistência da gestão municipal de Lauro de Freitas vem se perpetuando por vários anos, esteve perto de ter uma solução em junho de 2020, quando houve o retorno dos contatos com a Secretaria de Serviços Públicos (SSP). Ainda de acordo com ela, os técnicos fizeram questionamentos do motivo do contato, ao chegarem no local e verem que era um centro de religião de matriz africana, não foi realizado o serviço. 

Em 2020, foi aberto um processo recorrente de intolerância religiosa, sobre os alagamentos e para que seja realizada uma análise da área fluvial. Atualmente, o processo está na Vara da Fazenda Pública e, de acordo com a Yalorixá, não não apresenta avanço no andamento da ação judicial. 

Leia também: Menor Nico denuncia ataques racistas no Instagram

Ela seguiu dizendo que a prefeitura não realizou a obra por estar a serviço do capitalismo, do que é apresentado no mercado imobiliário e do racismo estrutural, assim não tendo uma intervenção e solução do problema pelo órgão público. “Ela não responde, não faz nenhum tipo de intervenção por não ser algo do interesse dela. A Prefeitura  está de fato agravando e acirrando cada vez mais as desigualdades, e sabemos qual é o perfil que a desigualdade afeta em uma comunidade literalmente negra, que carece de saneamento básico e da intervenção pública. Logo, isso se caracteriza como racismo e é o ambiental, religioso e institucional”, finalizou Thiffany Odara.

A Prefeitura da cidade de Lauro de Freitas não respondeu o contato do Noticia Preta até o momento da publicação desta matéria.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.