Crianças negras têm mais chance de desenvolver síndrome ligada à Covid-19, revela estudo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Uma pesquisa publicada pela revista médica JAMA Network mostra que crianças negras e latinas, menores de 5 anos, têm mais chance de desenvolver a síndrome inflamatória multissistêmica associada à covid-19. 

Crianças negras, de até 5 anos, são as mais afetadas pela MIS-C – Foto: Getty Images

O documento revela que a Síndrome Inflamatória Multissistêmica (MIS-C – sigla em inglês) foi uma complicação rara associada à infecção por SARS-CoV-2.As estimativas de incidência com base na população e incidência entre pessoas com infecção foram maiores entre negros, hispânicos ou latinos e asiáticos ou pessoas das ilhas do Pacífico, em comparação com pessoas brancas”, afirma o documento. 

O estudo mostra também que a MIS-C teve uma incidência 9 vezes maior entre negros, hispânicos ou latinos, do que em pessoas brancas. Já em comparação com pessoas asiáticas ou das ilhas do Pacífico, a incidência foi 3 vezes maior do que pessoas brancas. Por outro lado, a MIS-C mais baixa em pessoas com idade entre 16 e 20 anos do que em comparação com crianças de 5 anos ou menos. 

Leia também: “A pandemia vai deixar rastros psicológicos severos”, diz psicóloga da linha de frente da Covid-19

Ainda de acordo com a pesquisa, não estão explícitos os motivos que as populações consideradas minorias têm mais risco de apresentar a MIS-C . Porém, algumas teorias surgem de uma maior incidência de doenças entre comunidades de menor acesso a cuidados de saúde.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.