Clubes brasileiros e jogadores protestam contra o racismo nas redes sociais

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Sport Club do Recife é um dos clubes que entraram na corrente -Foto: Divulgação Redes Sociais

Após a morte de George Floyd, e os dois assassinatos de jovens negros em favelas no Brasil, alguns clubes brasileiros de futebol, através das redes sociais, se juntaram aos protestos contra o racismo.  
Nesta segunda-feira (1), os times iniciaram uma corrente contra o racismo, relembrando atletas negros que jogaram em seus clubes. Na corrente, um clube desafia o outro a citar nome de três jogadores negros que jogaram com a camisa de seu time, utilizado a #vidasnegrasimportam.  
Alguns jogadores também usaram as redes socias para protestar contra o racismo. Talles, jogador do Vasco, foi um dos que se posicionou em sua conta no Twitter, usando a frase de Ângela Davis. “Não adianta não ser racista, temos que ser antirracistas”. Gabriel do São Paulo e Vinícius Junior do Real Madri também registram seus protestos e indignação contra as mortes ocorrida tanto nos EUA, quanto no Brasil.
Para Marcelo Carvalho, fundador do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, em entrevista a Agência Brasil, um ato vem acompanhado de outro e assim, sucessivamente. “Uma voz puxa a outra. Eles vão se encorajando e passam a não ter mais medo de uma possível represália do sistema. É um movimento que, caso não seja silenciado, pode crescer e se aprofundar para falar de outras lutas políticas e sociais do país”, disse.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.