A surpreendente campanha de Cabo Verde na CAN 2013

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por Rubens Guilherme Santos

A década de 2010 entrou para a história do futebol de Cabo Verde, país lusófono do continente africano. Foi neste período que os Tubarões Azuis disputaram suas duas primeiras edições da Copa Africana de Nações (CAN): em 2013 e a segunda em 2015.

Seleção de Cabo Verde está em sua terceira CAN – Foto: PIUS UTOMI EKPEI / AFP

O início de tudo

O dia 14 de outubro de 2012 está eternizado na memória do futebol cabo-verdiano. Foi nesta data que o país garantiu sua vaga para disputar pela primeira vez a CAN. O adversário na briga pelo posto na fase final da CAN de 2013 era a estrelada seleção de Camarões. No jogo de ida, em casa, Cabo Verde fez prevalecer o fator mando de campo e venceu os adversários pelo placar de 2 a 0, com gols de Ricardo e Djaniny.

O jogo de volta foi em Yaoundé, na casa dos adversários. Logo no início da partida, Héldon, a partir de cobrança de falta, abriu o placar para os Tubarões Azuis. O gol cabo-verdiano impôs pressão a Camarões, que precisava marcar três gols para avançar para a CAN 2013. Aos 22 minutos da primeira etapa, Emaná empatou. Porém, o placar permaneceu empatado até os acréscimos da etapa final. Aos 49 minutos, Idrissou colocou os camaroneses em vantagem de 2 a 1. 

Só que já era tarde demais. No agregado, 3 a 2 para Cabo Verde, que conquistava a sua primeira classificação para a fase final da CAN.

A surpresa na CAN de 2013

Os Tubarões Azuis viajaram para a África do Sul, sede da edição de 2013, determinados a deixarem sua marca no torneio. Cabo Verde caiu no Grupo A, que contava também com os sul-africanos, anfitriões da competição, Marrocos e Angola.

Leia também: Burkina Faso: em busca de superar a incrível campanha da CAN de 2013

Logo na estreia, os cabo-verdianos enfrentaram a seleção da casa. O placar não saiu do 0 a 0. Na segunda rodada, o adversário da vez foi o Marrocos. Platini foi o autor do primeiro gol do país na história da CAN, aos 36 minutos do primeiro tempo. Mas aos 34 minutos da etapa complementar, El Arabi marcou o gol de empate. Resultado final: 1 a 1.

O jogo que marcou a participação dos Tubarões Azuis naquela edição foi contra Angola, na terceira e última rodada da fase de grupos. Num duelo de países lusófonos, quem levou a melhor foram os estreantes. Nando, aos 33 minutos do primeiro tempo, marcou um gol contra seu próprio patrimônio e deixou Angola em vantagem. Com a vitória parcial, os angolanos iam avançando para as quartas de final. Mas os minutos finais de jogo foram de pura emoção para Cabo Verde. Fernando Varela, aos 36 minutos e Héldon aos 46 do segundo tempo estufaram a rede para dar a vitória e a classificação para os estreantes.

Pelos critérios de desempate, a África do Sul ficou com a liderança da chave e os cabo-verdianos ficaram com o segundo lugar. Assim, o país teve pela frente Gana no mata-mata. Mubarak, duas vezes, foi o autor dos gols que eliminaram os Tubarões Azuis do torneio.

Apesar do desfecho não tão favorável, Cabo Verde conquistou muito mais do que a vaga para a fase final da CAN de 2013. Estar entre as oito melhores seleções do continente logo na estreia é um feito e tanto dentro do futebol africano.

Bons resultados recentes, como uma vitória contra a seleção brasileira olímpica em 2021 e a própria vaga para a próxima CAN, creditam o país como uma possível surpresa em Camarões.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.