‘Negros precisam estar em lugares de destaque’, afirma Ludmilla sobre enredo da Beija-Flor 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A cantora e compositora Ludmilla falou sobre a importância da presença dos negros nos diversos espaços da sociedade durante visita à quadra da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis. “Eu já falei mais de uma vez que os negros precisam estar em lugares de destaque, por merecimento, por reparação, e porque só um negro para entender a maior parcela da população, que, vejam só, é negra”, disse Ludmilla ao comentar o enredo da escola em entrevista à revista Quem.

Ludmilla. Foto: Reprodução Redes Sociais

Brunna Gonçalves, mulher da cantora, nascida e criada em Nilópolis, vai desfilar como musa da agremiação. A agremiação azul e branca vai levar para a Marquês de Sapucaí o enredo “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”. Nele, a escola propõe um resgate de personagens pretos e de seus feitos de grande importância para a sociedade e luta para que a história de negros brasileiros.

Leia também: Ludmilla prepara novo álbum com volta de “MC Beyoncé” e participações 

De acordo com o carnavalesco Alexandre Louzada, a proposta do enredo é um retorno às origens da civilização para que as pessoas possam ter noção da origem brilhante que o povo preto teve e que foi apagada pela colonização europeia. O enredo se propõe a dar destaque à verdadeira história dos negros, com seus personagens, na luta contra o preconceito, mostrando que ainda há muita desigualdade a ser vencida.  

Com o enredo “Empretecer o pensamento é ouvir da voz da Beija-Flor”, a escola faz uma convocação a todos para uma reflexão sobre as questões urgentes da negritude. A agremiação também luta para que a história de seus personagens negros, como Selminha Sorriso, Claudinho, Neguinho da Beija-flor Pinah, Laíla, gente da própria escola, não seja esquecida. A porta-bandeira Selminha Sorriso afirma ter orgulho de sua história.” O samba me deu todas as oportunidades que eu sonhei. E hoje tenho gratidão por ser uma mulher preta, ex-moradora de comunidade, bacharel em direito, 1º sargento do Corpo de Bombeiros, mãe de um jovem. E porta-bandeira dessa escola de samba, que é uma escola de vida.” 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.