“Levei um tiro por causa de R$ 4”, diz jovem baleado por bombeiro em lanchonete no RJ

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em entrevista ao Fantástico neste domingo (22), Mateus Carvalho, caixa do McDonalds que foi baleado por um bombeiro, falou pela primeira vez sobre o que aconteceu naquela noite. Segundo o jovem, a situação ocorreu por um motivo fútil e se o bombeiro tivesse esperado alguns segundos para chamar o gerente, ele teria o desconto e levaria o lanche normalmente. “Eu levei um tiro por causa de R$4”, lamenta o caixa.

O crime aconteceu no McDonald’s da Taquara, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/TV Globo

Mateus contou também que Paulo César de Souza Albuquerque, bombeiro militar do Rio de Janeiro, antes do atendimento, estava alterado pelo tempo que passou na fila de espera, no carro a sua frente havia várias pessoas. “Ele estava buzinando muito, muito, muito. Falei ‘vou tratar ele bem, dar um bom-dia como eu faço com todo mundo, botar um sorriso no rosto para amenizar a situação’. Aí ele: ‘a promoção do Big Mac.’ Depois que eu finalizei a compra, ele mostrou o cupom, no sistema da empresa, o desconto tem que ser registrado primeiro”, conta o jovem.

Mateus Carvalho, após ser baleado, foi levado para o um hospital público do RJ, o tiro atingiu o rim esquerdo, que foi retirado, o intestino grosso e se alojou nas costas. Atualmente o atendente está com uma bolsa de colostomia e vai passar por outra cirurgia para remoção do item em dois meses.

Após ter pedido de prisão temporária negado, outra solicitação foi feita pelo delegado Angelo José Lages Machado, da 32ª DP, esta acatada e realizada na última sexta-feira (20). O sargento do Corpo de Bombeiros falou, em depoimento, que recebeu um soco do jovem e apertou o gatilho de forma acidental. As imagens da câmera de segurança, que registraram o momento do disparo, não mostram o soco. 

Leia também: Mesmo com reconhecimento fotográfico, juíza nega prisão de bombeiro que atirou em funcionário do McDonalds

Paulo César será julgado por tentativa de homicídio duplamente qualificado, e segundo o delegado, vai ser aberta uma investigação para verificar a procedência do carro dirigido pelo bombeiro, uma Mercedes, sem placa. “A gente vai abrir uma nova investigação para tentar entender a origem desse patrimônio, que aparentemente é incompatível com o cargo que ele exerce, ele é sargento do Corpo de Bombeiros”, diz o responsável pela apuração.

Mateus finaliza a entrevista ao falar como está sendo complicado passar por essa situação e sua vida inteira foi mudada. “Ainda está difícil aceitar que em poucos segundos, e por um motivo tão banal, a vida inteira tenha mudado assim. Não machucou só o meu corpo, então vai doer durante muito tempo. O estrago foi feito, isso é uma coisa que leva tempo pra curar… Entendeu? Ainda vai doer muito, muito, muito”, lamenta o jovem que foi baleado pelo bombeiro.

Na madrugada do dia 9 de abril, o atendente de caixa Mateus Carvalho foi baleado por Paulo César de Souza Albuquerque, bombeiro militar do estado do Rio de Janeiro, que exigia um desconto de R$ 4 em uma lanchonete do McDonald’s.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.