Igreja que pertence à maior irmandade negra do Rio será reaberta em fevereiro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um patrimônio de 285 anos do Rio de Janeiro será reaberto ao público no próximo mês. As obras na Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, que pertence a maior irmandade negra do Rio, já começaram.

A construção, localizada na Rua Uruguaiana, no Centro da Cidade, foi catedral do Rio por 70 anos. Foi a primeira igreja a receber a família real portuguesa na sua chegada ao Rio, em 1808. Toda a glória, no entanto, ficou no passado. Em 1967, um incêndio destruiu a decoração em estilo barroco.

No mesmo prédio existe o único museu do negro na cidade, com centenas de peças. Este é o primeiro e único museu do Rio sobre a herança africana. Membros da comissão de patrimônio histórico da Arquidiocese descobriram que itens importantes do acervo sumiram durante o período em que a igreja e o museu estavam interditados pela Justiça.

Uma decisão judicial determina que o Iphan deve escolher um local pra transferir o acervo e o prazo termina na semana que vem.

Já foram arrecadados cerca de R$ 40 mil para as obras, graças as doações de fiéis. A arquidiocese do Rio conseguiu na Justiça o direito de administrar o imóvel que desde o século 18 pertence à irmandade.

A Justiça fechou a igreja no final de 2018, após denúncia do Ministério público federal sobre o estado de abandono e o risco de incêndio.

O laudo sobre as condições da rede elétrica mostra que um salão da igreja virou academia de luta, e os equipamentos ainda estão pelos cantos junto com o fio da ligação irregular que alimentava um conjunto de 14 ventiladores, mesmo após a energia elétrica ter cortado o fornecimento porque as contas não eram pagas.

O laudo apontou ainda que salas eram usadas como estacionamento de motos e depósito de mercadorias de ambulantes. Nas audiências, a irmandade alega estar falida.

Dois provedores já foram condenados por estelionato e associação criminosa pela venda ilegal de jazigos no cemitério Parque Jardim da Saudade, que também pertencia à irmandade.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.