Em meio à pandemia, governo do Rio faz operação policial no Complexo do Alemão e deixa cinco corpos na entrada da favela

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Policiais desceram do veículo blindado e seguiram a pé armados pela comunidade — Foto: Reprodução/TV Globo

Com mais de 2 mil mortes por coronavírus no estado do Rio, sendo 148 óbitos em favelas, segundo o painel #CoronaNasFavelas, o Governo do Rio de Janeiro realizou uma operação da Polícia Civil e do Bope, na manhã desta sexta-feira, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, que terminou com cinco mortos e um ferido. Os corpos ficaram na entrada da favela e tiveram que ser retirados por familiares e a amigos das vítimas, conforme informou René Silva, fundador do jornal Voz das Comunidades. A operação aconteceu nas localidades da Nova Brasília e da Fazendinha.

A operação começou de manhã cedo, por volta das 07h da manhã. Através das redes sociais moradores relatavam os intensos tiroteios durante a ação que, segundo a Polícia Militar, era para checar denúncias sobre o paradeiro de um criminoso apontado como liderança do tráfico de drogas local e verificar informações sobre a localização de uma casa usada como esconderijo de fuzis na comunidade.

Em seu perfil no Instagram o ativista Raull Santiago comentou sobre a situação: “Em meio à pandemia, uma operação policial na favela. Aqui mesmo onde falta água e a fome se faz presente… vejam, essa foi a principal forma que o estado dialogou com o nosso momento atual. A falsa ideia de guerra contra as drogas, que não transforma realidades de forma positiva e aumenta a violência. Lastimável. Se não morrer de vírus ou de fome, te matarão com tiros de fuzil, em nome de uma segurança pública que não inclui nosso povo”, publicou Raul.

Na página do Facebook do Voz das Comunidades, foram publicados relatos de violência policial durante a ação do Bope desta sexta-feira. De acordo com uma postagem, moradores foram agredidos e um bar, arrombado. Os PMs teriam ainda consumido mercadorias no local. Na localidade Nova Brasília, uma granada teria sido lançada, destruindo parte de uma casa. vídeo mostra o local.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.