Coral quilombola de Minas lança seu primeiro álbum

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nascido no quilombo de Justinópolis em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG), o grupo Coral Vozes de Campanhã, lançou seu primeiro álbum nesta sexta-feira (13). O coral é formado por 10 vozes femininas, 5 percussionistas masculinos e com uma faixa etária diversa, incluindo crianças e adultos, o grupo traz como principal tema, a cultura negra, sua resistência e beleza.

A data para o lançamento foi escolhida criteriosamente, o dia em que se comemora o fim de um regime extremamente cruel para a população negra no brasil, o sistema escravagista. As canções contam histórias negras, falam de esperança, lutas, alegrias e estão divididas entre músicas populares de domínio público, cantadas no Reinado e as composições de Reginaldo de Oliveira, compositor do grupo.

O álbum foi gravado no final de 2021, no Engenho Estúdio em Belo Horizonte, e conta com a distribuição digital do selo Semifusa Ecos. Para Capitã da Guarda de Corpo Patrícia, uma das líderes e integrantes do coral, foi uma grande vitória da comunidade a gravação do álbum. “A caminhada até a gravação do nosso primeiro CD foi um sonho realizando. Não foi fácil, tivemos vários obstáculos no percurso, mas chegar até aqui, no lançamento é muito emocionante. Somos muitos gratas ao quilombo de Nossa Senhora do Rosário de Justinópolis, á nossa base, e a todos os envolvidos nesse projeto”, comemora.

Capitã Patrícia celebra o trabalho realizado e o resultado final – Foto: César Augusto

O Capitão de Guarda e um dos patriarcas da comunidade, Capitão Dirceu, ressalta que o quilombo, assim como outros também, são geradores de cultura para toda sociedade. “O centenário do Quilombo Nossa Senhora do Rosário de Justinópolis contribui de maneira significativa na cultura local, mantendo acesa suas tradições ancestrais, garantindo a perpetuação dos costumes e tradições do povo preto regado de muitos sons, danças culinária tradicional transbordando muita fé e originalidade”, afirma.

Capitão Dirceu celebra a cultura do quilombo – Foto: César Augusto

Capitão Dirceu lembra ainda que o espaço é de cultura e harmonia, com a frequência de diversas pessoas e seguimentos sociais. “O Quilombo recebe em seu solo sagrado centenas de pessoas todos os anos que, com muita alegria e respeito, enriquecem as festas tradicionais que ali acontecem. Sua formação consiste em grupos que celebram ritos tradicionais como o Coral vozes de Campanhã, o candombe, as guardas de Congo e Moçambique, a capoeira dentre outros festejos e acontecimentos”, comenta.

Leia também: Grupos indígenas apresentam doenças crônicas, aponta estudos

“O Quilombo transborda saberes, tradições, gastronomia, sons e ritmos envoltos de muita emoção e sentimentos. Vale muito a pena conhecer”, finaliza.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

4 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.