Conselho aprova tombamento de fazenda e estação com símbolo nazista

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O Patrimônio Histórico e Cultural de São Paulo aprovou o tombamento da fazenda Cruzeiro do Sul e a Estação Ferroviária Engenheiro Hemílio, localizadas entre os municípios de Paranapanema e Campina do Monte Alegre, ambas no interior de São Paulo.

Tijolos e documentos com a suástica nazista foram encontrados na fazenda – Foto: João Gomes Neto/Divulgação/Arquivo

O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) tomou a decisão em fevereiro deste ano, mas a divulgação só veio neste final de semana. O Condephaat entendeu que os dois locais contemplam a “materialização de pensamentos segregacionistas e preconceituosos vividos pela sociedade brasileira”.

Leia também: Cartórios de SP registram 58 mil crianças somente com o nome das mães em 2021

Para Deborah Neves, historiadora e técnica da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico da Secretaria da Cultura e Economia Criativa, o tombamento tem grande importância dentro do cenário negacionista atual. “Essa resolução vem justamente para reforçar a importância de conhecermos a história, por mais que sombria, e impedir que políticas de ódio e autoritárias voltem a se repetir”, explica, em entrevista ao G1.

Ainda de acordo com Deborah, o tombamento ajudará a manter o local com mais indício de difusão do nazismo no Estado de São Paulo. “Depois que o estudo de tombamento foi aberto, durante o processo, houve uma ação humana para promover a destruição do local. Nossa equipe técnica foi à fazenda e apontou medidas de preservação, que nunca foram implantadas. Em 2016, constatamos o desaparecimento quase total das edificações. Os tijolos com as suásticas estavam partidos ao meio e parte do material estava ocultada debaixo de uma plantação de cana-de-açúcar. O estado ingressou com uma ação civil para investigar os responsáveis”, ressalta.

Entenda

Os dois locais ficaram conhecidos após o aparecimento de tijolos e documentos com a suástica nazista. Além disso, estudos mostraram que a fazenda realizava exploração de trabalho infantil nas décadas de 1930 e 1940.

APOIO-SITE-PICPAY

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.