Bolsonaro recebe Medalha do Mérito Indigenista do ministro da Justiça

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Mesmo com várias políticas contrárias aos povos originários, o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi condecorado com a Medalha do Mérito Indigenista pelo ministro da Justiça, Anderson Torres, em um ato publicado no Diário Oficial da União, na manhã desta quarta-feira (16).

Anderson Torres concedeu a honraria ao presidente Bolsonaro – Foto: Ministério da Justiça

A condecoração é oferecida a pessoas e entidades que se destacam na defesa dos interesses dos povos indígenas brasileiros. No entanto, o presidente tem sido criticado por sua política em relação os indígenas. A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), em 2021, chegou a denunciar o presidente ao Tribunal Penal Internacional de Haia por incentivar a invasão de terras indígenas por garimpeiros.

Leia também: Tribunal anula autorizações para garimpos em terras indígenas no Pará

Além disso, em 2020, Bolsonaro foi duramente criticado ao dizer que “cada vez mais, o índio é um ser humano igual a nós” e, em 2019, na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), ele disse que o cacique Raoni Metuktire era usado como “peça de manobra” por governos estrangeiros.

Depois de todas essas falas controversas, ao anunciar o orçamento para 2022, o presidente cortou verbas destinadas à proteção de comunidades indígenas que haviam sido aprovadas pelo Congresso Nacional. Além disso, Bolsonaro também é contrário a novas demarcações de terras indígenas e tem defendido a atuação de garimpeiros em reservas dos originários.

Em janeiro deste ano, o mandatário do Executivo também cortou verbas voltadas para indígenas, quilombolas e pesquisas científicas. Para saber mais sobre esta situação, acesse o link abaixo:

Bolsonaro corta verbas voltadas para indígenas, quilombolas e pesquisas científicas

APOIO-SITE-PICPAY

4 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.