Contas de luz ficam mais caras para consumidores do RJ

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Os consumidores de energia elétrica do Rio de Janeiro vão pagar contas mais caras. Isso porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (15), reajustes entre 12% e 17%, em média, nas contas de luz de clientes da Light e da Enel Rio, distribuidoras de energia que atendem consumidores do estado do Rio de Janeiro. As informações são do G1.

Foto: Pexels

O maior reajuste será para os clientes da Enel, que atende 3 milhões de unidades consumidoras, ficando em 16,86%. Já para os clientes da Light, o reajuste terá um efeito médio de 14,68%, considerando todos os tipos de consumidores. Os novos índices também entram em vigor nesta terça-feira (15). De acordo com a operadora, o reajuste da Enel será de 17,14% para clientes residenciais, 15,38% para consumidores de alta tensão e 17,39% para os consumidores de baixa tensão, como pequenos negócios, exceto os clientes residenciais.

Leia também: Tarifas de energia no país devem ter alta de 19% em 2022, prevê TR Soluções

O reajuste da Light foi feito a partir de um processo chamado “revisão tarifária periódica”, realizado, em média, a cada quatro anos. Ainda de acordo com a Aneel, o objetivo é adequar o contrato para custear os investimentos e a operação. Já o reajuste da Enel foi dentro do reajuste tarifário anual, que acontece no aniversário de contrato de cada distribuidora, com exceção de quando há a “revisão tarifária periódica”.

Segundo a Aneel, há dois principais motivos para o aumento de dois dígitos da energia. O primeiro foi o aumento do custo de compra e distribuição de energia. Desde o ano passado o país vem sofrendo as consequências de uma crise hídrica, que elevou o preço da energia devido ao baixo reservatório das hidrelétricas, e a necessidade se acionar as termelétricas, que produzem uma energia mais cara e poluente com a queima de carvão.

O segundo motivo seria o furto de energia, ou “gatos”, como são chamados. De acordo com as empresas distribuidoras, cerca de 40% da energia consumida no Rio de Janeiro tem esse tipo de origem. O custo é repassado pela empresa aos outros consumidores que estão na legalidade.

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.