AfroGames, projeto realizado pelo AfroReggae, forma mais 100 alunos na favela de Vigário Geral

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Cem alunos do projeto AfroGames, realizado pelo AfroReggae, formam-se, neste sábado (04), no curso que oferece oportunidades a jovens moradores de favelas do Rio de conhecer o mundo dos games e e-sports. Com o sucesso do projeto, que já tem sua segunda turma, o AfroReggae, responsável irá expandir o programa com uma nova sala “mobile”, onde as aulas serão voltadas para jogos desenvolvidos para celular. Serão 50 vagas, um time de “fortnite” e a manutenção do time de League Of Legends (LOL).

Os estudantes receberam certificados de games, programação e inglês. Foram premiados os melhores alunos de cada modalidade, o atleta revelação e o parente mais engajado com o projeto, por exemplo.

Entre as novidades para 2022 estão o lançamento da sala “mobile”, que vai possibilitar atender mais 50 alunos com aulas de “Free Fire” (jogo eletrônico mobile de ação-aventura). A divulgação da continuação da parceria com a Fusion (Ambev) permitirá ainda promover um time de “fortnite”.

Jovens de Vigário Geral têm aulas gratuitas de games e de programação Foto: Divulgação

Leia também: Negros são maioria dos gamers no Brasil, revela pesquisa

O time de LOL será reestruturado e terá rotação de jogadores dando espaço para aqueles que mais se destacarem. Além disso, foi confirmada a manutenção da parceria com a GOL e outras marcas apoiadoras, como Nuuvem e a Kingston.

As inscrições das próximas turmas abrem em janeiro, presencialmente e pelo Instagram do projeto. Para participar, é preciso ter a partir de 13 anos e apresentar comprovante de residência (o aluno deve morar, preferencialmente,em comunidade), documento de identificação do aluno 9RG ou certidão de nascimento) e RG e CPF do responsável.

O grupo AfroReggae foi criado por José Junior em 1993 com a missão de promover a inclusão e a justiça social por meio de arte, cultura afro-brasileira e educação. O grupo busca despertar potencialidades artísticas de jovens das camadas populares. Alem disso, a iniciativa aumenta a autoestima dos jovens moradores de favelas, além de gerar renda, afastando-os da influência do tráfico.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.