Comprador de NFT de Exu da Grande Rio recebe item de colecionador

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Fabrício Villa Flor de Carvalho, fã da escola de samba Grande Rio, teve um dia inesquecível na Cidade do Samba. Comprador do NFT (token não fungível) legendário criado pela IDG – plataforma de desenvolvimento e comercialização de NFTs – em parceria com a agremiação, o carioca teve direito ao produto digital e também a uma memorabilia, neste caso uma peça original do desfile da escola de samba em 2022: uma bandeira original usada em um dos carros a alegóricos. Como bônus, ainda ganhou um encontro com Demerson D’Alvaro, ator que personificou Exu, orixá tema do enredo no desfile da escola campeã do Carnaval do Rio de Janeiro.

O NFT de categoria “legendário” foi vendido por mil dólares, aproximadamente R$ 5 mil. A memorabilia e a experiência associadas ao colecionável digital funcionaram como forma de agregar ainda mais valor ao token.

No primeiro trimestre de 2022, o mercado de tokens não fungíveis movimentou cerca de US$ 12 bilhões, segundo o relatório da Dapp Radar, e o crescimento em vertentes da cultura brasileira é cada vez mais evidente.

A Grande Rio acompanhou a evolução do mercado e lançou uma coleção inédita de cards colecionáveis em parceria com a IDG, empresa que já possui um portfólio de NFTs voltados para o universo dos aficionados por esportes e entretenimento. A coleção conta com cards exclusivos que representam momentos únicos do desfile da vencedora do Carnaval de 2022 no Grupo Especial do Rio de Janeiro.

Carvalho, 47 anos, conta sobre o processo de compra e relata o momento em que recebeu a peça: “Já estava olhando no mercado sobre ativos digitais e entendi que aquela sobre a comissão de frente da Grande Rio seria bastante impactante, tendo em vista tudo o que representou para o desfile, a forma como foi a apresentação do ator. E foi uma enorme coincidência, comentei com um amigo sobre ativos digitais e chegando em casa fui procurar algo nesse sentido, e na hora que joguei na busca NFT Grande Rio, apareceu justamente esse. Vi que era um item único e não pensei duas vezes, comprei. Eu sou nascido e criado em Duque de Caxias, nasci em 1974 e a Grande Rio é de 1988. Meu pai foi praticamente um dos fundadores da escola junto com a família Soares, então é uma ligação familiar. Quando pensei em NFTs de escola de samba, pensei logo de cara na Grande Rio e quando eu bati o olho e vi que tinha uma, sendo um artigo único e legendário, foi algo inexplicável”.

A participação do ator que desfilou na Grande Rio personificando Exu foi uma surpresa para o colecionador. “Para mim é uma honra ser eternizado num NFT, assim como foi uma honra desfilar pela Grande Rio representando Exu e conseguir esse campeonato inédito para a escola. Depois do desfile a escola me comunicou sobre essa ação de NFT, pesquisei um pouco mais sobre o tema. Posso dizer que ainda sou garoto nesse assunto, mas estou me informando cada vez mais”, enfatiza Demerson D’Alvaro.

Para Sylmara Multini, CEO da IDG que também estava presente no encontro, a compra deste colecionável digital é um passo importante para a consolidação da cultura de NFTs no Brasil: “Sabemos que esse mercado está em ascensão, principalmente no Brasil, e a criação de NFTs que abrangem diversos meios culturais abre uma porta para a consolidação desse setor. Nós buscamos ao máximo diversificar a cultura de NFTs e eternizar esse momento da Grande Rio foi um grande marco. O mercado de NFTs é global, as pessoas estão deixando de adquirir itens físicos e comprando digitais e o setor de colecionáveis está nesse caminho”.

LEIA TAMBÉM: AfroGames, projeto realizado pelo AfroReggae, forma mais 100 alunos na favela de Vigário Geral

Token digital do orixá, arrematado por mil dólares, deu direito a memorabilia entregue ao comprador na Cidade do Samba 

Mangueira também entra no universo dos NFTs

A Mangueira anunciou que Squel Jorgea deixa o posto de porta-bandeira, depois de brilhar por oito carnavais como grande guardiã do pavilhão da escola na avenida. E sua última participação no desfile da verde-e-rosa também foi eternizada em NFT recém-lançado pela IDG, plataforma especializada em colecionáveis digitais. Integrante da verde-e-rosa, neta de Xangô da Mangueira e sobrinha de Matheus Olivério, o mestre-sala que a acompanhou nos últimos anos, Squel diz que ser a porta-bandeira da “escola amada” foi a realização de um sonho de menina: “É uma alegria pensar que uma imagem associada ao último desfile ficará eternizada em NFT”.

A diretora comercial da escola, Célia Domingues, comenta: “a Mangueira gosta de unir tradição e modernidade. Os NFTs da escola estão aí para comprovar isso”. Associada ao NFT que traz o casal Squel e Matheus está uma memorabilia de fazer tremer qualquer coração apaixonado por Carnaval: a bandeira usada pela Mangueira no desfile campeão de 1998, quando Chico Buarque foi tema do enredo da escola!

“Este é o nosso diferencial: NFTs artísticos, com memorabilia. A IDG sente-se honrada por oferecer esta peça histórica. Estamos ansiosos para saber quem será o sortudo que vai levar para casa o NFT legendary e a bandeira!”, diz Sylmara Multini, CEO da IDG.

Sobre a IDG NFT

Fundada na Califórnia (EUA), a IDG é uma empresa global de colecionáveis digitais especializada na criação de conteúdos de NFTs, Memorabilia e Fan Experience. A missão do IDG é tornar-se líder mundial em Colecionáveis Digitais nos segmentos Esportivo, Musical e Artístico, além de também atuar em Eventos, Entretenimento, Ingressos e Coleções Particulares. O nosso ecossistema digital permite aos nossos clientes explorar uma plataforma única e protegida, levando-os a uma viagem divertida ao mundo de colecionáveis digitais com conteúdos exclusivos. A empresa valoriza a memória de seus parceiros e eterniza suas histórias por meio de NFTs e experiencias com uma sólida pegada nos direitos de propriedade intelectual. Venha fazer farte da nossa comunidade de colecionadores!

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.