África pode ser duramente atingida pela perda das exportações ucranianas de grãos, diz instituto

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Via Reuters

Os países africanos podem ser duramente atingidos por qualquer interrupção contínua das exportações de grãos da Ucrânia causadas pela guerra, disse um relatório do Instituto Kiel para a Economia Mundial da Alemanha (IfW) nesta sexta-feira.

Trabalhadores colhem trigo em um campo nos arredores da província de Beja, cerca de 115 km ao norte da capital Túnis, arquivo. REUTERS/Anis Mili

“A guerra na Ucrânia pode piorar significativamente a oferta de cereais usados na produção de alimentos em países africanos, tornando os alimentos mais caros se a Ucrânia deixar de ser fornecedora de grãos”, disse o instituto.

Leia também: Aspen da África do Sul assina acordo para embalar e vender vacina J&J COVID

“O país fornece grandes quantidades de grãos para estados norte-africanos em particular, que outras fontes de abastecimento não poderiam substituir mesmo no longo prazo.”

Os importadores de grãos em todo o mundo foram atingidos pelo aumento dos preços, com o trigo em torno de altas de 14 anos após a parada repentina das exportações da Ucrânia e uma redução acentuada da Rússia. O conflito fechou os portos de exportação de grãos. leia mais

Rússia e Ucrânia contribuem com quase 30% das exportações globais de trigo, juntamente com grandes volumes de grãos de ração animal e óleos comestíveis, com embarques massivamente cortados pelos combates.

“Devido à guerra, é provável que a Ucrânia seja inicialmente cortada da economia global, as rotas comerciais foram cortadas, a infraestrutura destruída e todos os fatores de produção restantes provavelmente serão direcionados para uma economia de guerra”, disse o instituto.

E acrescentou: “Perder a Ucrânia como fornecedor piorará visivelmente a situação de abastecimento em todo o continente”.

Entre os países mais atingidos pode ser a Tunísia, onde as importações totais de trigo do país diminuiriam em mais de 15%. O Egito importaria mais de 17% menos, enquanto a África do Sul importaria 7% menos.

As importações de grãos também seriam visivelmente interrompidas em países como Camarões, Argélia, Líbia, Etiópia, Quênia, Uganda, Marrocos e Moçambique.

A Alemanha sediará uma reunião de ministros da agricultura das nações do G7 na sexta-feira para discutir as consequências do conflito com a Ucrânia para a segurança alimentar global.

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

3 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.