Sargento da Marinha mata vizinho negro e diz que o confundiu com ladrão

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O sargento da Marinha, Aurélio Alves Bezerra, foi preso em flagrante, após atirar três vezes e matar seu vizinho, Durval Teófilo Filho, de 38 anos. A vítima, que é um homem negro, chegava em casa do trabalho quando foi atingido na barriga. Durval foi assassinado pelo militar após Aurélio achar que o vizinho seria um assaltante. O crime foi registrado por câmeras de segurança do condomínio.

Durval foi baleado na barriga e não resistiu – Foto: Reprodução Redes Sociais

Luziane Teófilo, viúva de Durval, disse que escutou os tiros e disse que o marido foi morto por que era negro e a filha foi a primeira pessoa a ver o pai baleado. “A minha filha, que tem 6 anos, estava esperando por ele. Imediatamente ela olhou pela janela e disse que era o pai dela”, disse emocionada.

Leia também: Família de Moïse afirma ter sido intimidada por PMs

Luziane ficou revoltada ao chegar no hospital e ser informada que um vizinho tinha atirado no seu marido. “A médica me falou que ele tinha sido alvejado por um vizinho que o confundiu com um bandido. Isso me deixou transtornada. Eu nunca pensei que isso fosse acontecer com um vizinho nosso”, comenta.

O sargento Aurélio Alves Bezerra, autor dos disparos, disse à Polícia Militar que estava chegando em casa e avistou um homem que vinha “muito rápido” em direção ao seu veículo. Além disso, o militar disse que ainda tentou socorrer a vítima, que foi atingida no abdômen. Aurélio também disse que “a localidade é perigosa e costuma ter muitos assaltos”.

“Vendo as câmeras, ouvindo a fala do delegado e pelo que os vizinhos estão falando, tenho certeza de que isso aconteceu porque ele é preto. Mesmo eles falando que ele era morador do condomínio, o vizinho não quis saber. Para mim, foi racismo sim”, conclui Luziane.

APOIO-SITE-PICPAY

11 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.