PM diz que socorreu Kathlen, avó da jovem nega: ‘Não queriam nem que ela entrasse no carro’

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O socorro prestado a Kathlen Romeu, baleada e morta na terça-feira (08) no Rio de Janeiro, tem causado divergência entre policiais militares e a família da jovem. A Polícia Militar disse que houve confronto e os agentes viram uma pessoa caída depois de ouvir uma gritaria. Entretanto, a família de Kathlen afirmou que não houve confronto e que Kathlen foi morta pela polícia, a avó da vítima que estava junto com a jovem na ocasião, contou que a neta só foi levada após muita insistência.

“Eles não queriam nem que ela entrasse no carro. Eu falei: ‘Me leva, nem que seja na caçamba’, mas eles conseguiram levar […] Eles socorreram porque eu gritei”, disse a avó de Kathlen. Em contrapartida, o comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), Jeanderson Correa, disse que a guarnição identificou a situação e prestou atendimento a vítima, “sendo a guarnição informada que a mesma não resistiu aos ferimentos vindo a óbito”. A Polícia Civil investiga o caso e tenta descobrir de onde partiu o disparo, mas já se sabe que foi uma bala de fuzil que atingiu o tórax de Kathlen. De acordo com a mãe da jovem, a filha foi morta por um policial militar.

A mãe da vítima também se pronunciou: “Avisa ao major Blaz (porta-voz da PM) que esta historinha que é contada há anos na televisão que foi troca de tiros, que a polícia foi recebida a tiros. Quem foi recebida a tiros foi a minha filha. Eu fui informada por todos de que não foi troca de tiros”, afirmou ela.

Foto: Reprodução redes sociais

Leia também: Jovem grávida é baleada e morta durante operação policial no Lins de Vasconcelos, Rio de Janeiro

Policiais que participaram da ação afirmaram ter dado sete tiros de fuzil. No total, 21 armas de policiais foram apreendidas. À Polícia Civil, o cabo Marcos Felipe da Silva Salviano disse ter disparado cinco vezes de fuzil. Ele diz ainda que o seu colega, cabo Rodrigo Correia de Frias, atirou outras duas vezes. O Cabo Salviano afirmou que outras equipes da UPP também estavam em patrulhamento na tentativa de cercar os criminosos. Ele não soube informar se os outros policiais também dispararam.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.