Nova série da Netflix, “Da África aos EUA: Uma Jornada Gastronômica”, mistura comida, história e dose certa de emoção

APOIE O NOTÍCIA PRETA

“High On The Hog” ou “Da África aos EUA: Uma Jornada Gastronômica” é a nova série documental da Netflix, que estreou no final de maio. Baseada em um livro da escritora e pesquisadora culinária nova-iorquina, Jessica B. Harris, a série mostra que a comida americana tem em sua base ingredientes e receitas que foram introduzidas pelos africanos escravizados. O apresentador, o chef e escritor Stephen Satterfield, revela pratos e ingredientes que mostram como o continente africano influenciou a construção da América e do que se conhece hoje por comida americana. Um exemplo: o famoso e tradicional macarrão com queijo é invenção de um sofisticado cozinheiro negro.

A série é uma grande produção, divida em 4 episódios emocionantes. Já no primeiro episódio, prende a atenção ao transportar o assinante ao continente africano, mais precisamente à República do Benim, onde o apresentador Stephen e a escritora Harris caminham pelo mercado central, um dos maiores centros comerciais da África, e percorrem bairros da capital, experimentando pratos, e vilarejos remotos, que escondem histórias sobre a captura de escravos. Um dos momentos mais emocionantes é quando Satterfield pisa no local de onde os negros partiam para as Américas. “É como estar pela primeira vez num lugar que parece que eu já conheço”.

Os demais episódios são em solo americano, uma verdadeira viagem do Texas à Carolina do Sul, da Virgínia a Nova Iorque, passando pela Filadélfia. Satterfield revela a riqueza gerada pelos negros nas plantações de arroz do Sul, as histórias por trás dos pratos preparados pelos cozinheiros da Casa Branca, escravos pessoais dos Pais Fundadores da nação onde “todos são livres”, e as tradições do Texas.

Em “High On The Hog” é possível descobrir, por exemplo, que alguns dos ingredientes que são fundamentais na cozinha das américas, seja nos EUA ou no Brasil, como o quiabo e o inhame, foram trazidos pelos africanos escravizados e eternizados em pratos como “sopa de quiabo” (EUA) e o “Caruru” (Brasil).

“High on the hog” é batata-doce, macarrão e queijo, pés de porco, molhos picantes, arroz, gengibre, camarão seco, feijão-fradinho, cheesecake de framboesa e hibisco crua, costelinhas de porco. É também descobrir novos chefes e viajar para um lugar novo. A nova série é uma boa pedida para quem gosta de documentário, culinária, história e conhecer as próprias origens. Dá para ver em um dia ou em um final de semana. Recomendação: não assista com fome!

APOIO-SITE-PICPAY

Jersey Simon

Jornalista, especialista em Comunicação estratégica, empreendedor. Na luta por um Reino de Justiça e paz.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.