Mulher presa após chamar segurança de drogaria de macaco

APOIE O NOTÍCIA PRETA
A mulher foi levada à Central de Flagrantes 3 – Foto: Divulgação Internet

Belo Horizonte registra mais um caso de injúria racial. Dessa vez, o caso aconteceu dentro de uma drogaria na noite de quinta (12), na região centro sul da capital mineira. Uma mulher de 35 anos chamou o segurança de “macaco da bunda gorda” e, segundo a Polícia Militar, o funcionário abordou a mulher por ela estar incomodando os clientes que saiam da loja, pedindo para eles abrirem a sacola para ela ver o que tinha dentro.
Ainda de acordo com a corporação, no momento da abordagem, a mulher chamou o segurança de macaco e disse que ele não tinha competência para estar ali.
Segundo a sargento Edymeire Coelho, a mulher estava muito agressiva, não queria passar os dados pessoais. Ela foi levada para a Central de Flagrantes 3, em Belo Horizonte, por desacato e injúria racial.
Em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Record, Mayra Nicolau Carlos negou os crimes e disse que estava presa por conta de uma “bobagem do segurança, falta de consciência dele”. “Jamais, eu que sou preta, vou chamar outra pessoa de macaco, não tem como porque eu sou preta, adoro a minha cor jamais faria isso”, disse.
Mayra ainda disse que foi ao local para buscar umas roupas que seriam doadas por uma vendedora. “Eu amo a minha cor, meus filhos são todos negros, não tenho um filho branco. Jamais eu ofenderia um negro”, alegou.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.