“Moreninha imprestável”: mãe de aluna é condenada por injúria racial contra funcionária de escola particular

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Edna Ferreira Lopo Santana, mãe de alunas de uma escola particular em Goiânia (GO), foi condenada a pagar uma indenização a uma ex-funcionária da instituição no valor de R$ 5 mil depois de chamá-la de “moreninha imprestável” na frente de outros funcionários e estudantes. 

Foto: Reprodução

A decisão do juiz Leonys Lopes Campos da Silva, do 2º Juizado Especial Cível de Goiânia, também incluiu mais R$ 1,1 mil a título de danos materiais, para cobrir gastos de tratamento psiquiátrico de Suelen Martins. A vítima diz que, devido a abalo psicológico, fez acordo para se desligar da escola.

Leia também: Seu Jorge é condenado a pagar R$ 500 mil de indenização à família de Mário Lago

A defesa de Suelen alegou que a vítima trabalhava na coordenação da escola, em fevereiro de 2018, quando Ednar foi à instituição para reclamar de cobranças de juros nas mensalidades em decorrência de atrasos nos pagamentos. Neste momento, segundo a defesa, Edna teria se exaltado com Suelen. 

Ainda de acordo com a defesa da vítima, a mãe das alunas “humilhou e menosprezou a funcionária por causa de sua origem afrodescendente”. Além disso, Suelen disse que “sofreu ataques vexatórios e humilhantes, necessitando de acompanhamento médico psicológico, gerando também o desligamento da escola”, afirma a defesa. 

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.