Ministro da Educação diz que diploma de universidade não adianta e critica Fies: ‘Depois termina o curso e fica endividado’

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Neste sábado (21), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, questionou a busca por um diploma universitário por alunos que usam financiamento e depois, segundo ele, ficam endividados “porque não tem emprego”. O discurso aconteceu em um encontro com representantes dos governos municipais em Nova Odessa (SP).

Ao defender o ensino profissionalizante, o ministro declarou:

“Que adianta você ter um diploma na parede, o menino faz inclusive o financiamento do FIES que é um instrumento útil, mas depois ele sai, termina o curso, mas fica endividado e não consegue pagar porque não tem emprego.”

Milton Ribeiro falou sobre focar em escolas técnicas: “No entanto, o Brasil precisa de mão de obra técnica, profissional. E aí depois o moço ou a moça, elas fazem esse curso, arrumam um emprego, e depois falam: ‘O que eu gostaria mesmo é ser um doutor. Eu fiz um curso técnico em veterinário, já tenho um emprego, mas eu quero ser um médico veterinário'”.

Não é a primeira vez que Ribeiro questiona o ensino universitário amplo. Milton Ribeiro já declarou que “a universidade deveria ser para poucos” e também defendeu que as verdadeiras “vedetes” (protagonistas) do futuro sejam os institutos federais, capazes de formar técnicos.

Bolsonaro e seu Ministro da Educação

Manifestação contra o Ministro da Educação

No evento, um grupo de estudantes fez um protesto contra Milton Ribeiro e por mais acesso à educação, e foi retirado a força pela Polícia Militar do portão do local.

Os manifestantes pediam mais oportunidades nas universidades e garantia de acesso à internet para alunos de baixa renda que tiveram o ensino prejudicado durante a pandemia.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.