Fortes chuvas matam mais de 440 pessoas na África do Sul

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Via Reuters

Socorristas procuraram dezenas de pessoas ainda desaparecidas na província de KwaZulu-Natal (KZN) da África do Sul no domingo, depois que fortes chuvas nos últimos dias provocaram inundações e deslizamentos de terra que mataram mais de 440 pessoas.

Um membro da equipe de busca e salvamento usa um cão para procurar corpos em Dassenhoek perto de Durban, África do Sul, 17 de abril de 2022. REUTERS/Rogan Ward

As inundações deixaram milhares de desabrigados, derrubaram os serviços de energia e água e interromperam as operações em um dos portos mais movimentados da África, Durban. Um funcionário da economia provincial estimou os danos globais da infraestrutura em mais de 10 bilhões de rands (US$ 684,6 milhões).

Leia também: Taxa de desemprego na África do Sul bate novo recorde no quarto trimestre de 2021

O primeiro-ministro da província, Sihle Zikalala, disse que o número de mortos subiu para 443, com mais 63 pessoas desaparecidas.

Em algumas das áreas mais afetadas, os moradores disseram estar apavorados com a ideia de mais chuva, que estava prevista para cair no domingo. Alguns enfrentaram uma espera agonizante por notícias de entes queridos desaparecidos.

“Nós não perdemos a esperança. Embora estejamos constantemente preocupados com (os) dias continuam”, Sbongile Mjoka, morador da vila Sunshine, no município de EThekwini, cujo sobrinho de 8 anos está desaparecido há dias.

“Estamos traumatizados com a visão da chuva”, disse Mjoka, 47 anos, à Reuters, acrescentando que sua casa havia sido gravemente danificada.

Em uma área semi-rural próxima, três membros da família Sibiya foram mortos quando as paredes do quarto onde dormiram desabaram e Bongeka Sibiya, de 4 anos, ainda está desaparecida.

“Tudo é um lembrete severo do que perdemos, e não ser capaz de encontrar (Bongeka) é devastador porque não podemos sofrer ou curar. Nesta fase, ficamos vazios”, disse Lethiwe Sibiya, 33 anos, à Reuters.

O gabinete do presidente Cyril Ramaphosa disse na tarde deste sábado que ele havia adiado uma visita de trabalho à Arábia Saudita para se concentrar no desastre. Ramaphosa se reunirá com ministros para avaliar a resposta à crise.

O primeiro-ministro da KZN, Zikalala, disse em um briefing televisionado que as inundações estavam entre as piores da história registrada de sua província.

“Precisamos convocar nossa coragem coletiva e transformar essa devastação em uma oportunidade para reconstruir nossa província”, disse ele. “O povo de KwaZulu-Natal vai se erguer deste caos.”

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.