“Viradão” em homenagem ao Dia da Mulher Sambista começa nesta terça-feira

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em comemoração ao terceiro Dia da Mulher Sambista (13), o Movimento das Mulheres Sambistas realiza, entre 13 e 18 de abril, a segunda edição do “Viradão – Dia da Mulher Sambista”, tendo participação de 95 artistas e 3 DJ’s. 

O Dia da Mulher Sambista, comemorado no dia 13 de abril, é em homenagem ao aniversário de Dona Ivone Lara. A data foi intitulada após o falecimento de Ivone Lara e com solicitação feita pelo vereador do Rio de Janeiro, Tarcísio Motta de Carvalho em abril de 2018, para que o dia fosse incluído no calendário da cidade. 

Dona Ivone Lara foi a primeira mulher a compor em escolas de samba, “ela é inegavelmente a nossa maior referência de mulher no samba, uma mulher que começou muito tarde, depois de se aposentar, e conseguiu nos abrilhantar e nos presentear com tantos álbuns de grande potência”, pontua Patrícia Rodrigues, organizadora do evento.

Leia também: Qual a importância das mulheres negras no samba?

A primeira edição do “Viradão – Dia da Mulher Sambistas”, realizada em 2019, levou muitas pessoas para a rua em comemoração, porém devido a pandemia, desde o ano passado o evento está sendo transmitido pelo canal do YouTube.  

Patrícia afirma a importância de se reunir mulheres nessa data, “o samba ainda é um espaço muito machista e segregado, onde há poucas mulheres em lugar de visibilidade […] temos poucas rodas de samba formadas por mulheres e ainda assim, é muito criticado”. Ela acrescenta ainda que o evento tem por objetivo ajudar a viabilizar uma luta que teve início muito antes da implantação do Dia da Mulher Sambista.

O movimento das Mulheres Sambistas lançou também uma playlist com o nome #mulheresSambista, contendo mais de 60 mulheres, incluindo sambistas que não são conhecidas pelo grande público. “Essa playlist é uma utilidade pública para quem gosta de cultura popular, para quem gosta de samba e para tirar do nosso discurso que a gente não conhece muitas mulheres sambistas e trazer a possibilidade de reconhecer o trabalho dessas mulheres”, conclui Patrícia.

A organização do evento também estará disponibilizando uma vaquinha para ajudar mais de 50 mulheres que estão passando por uma situação de vulnerabilidade. 

Cantora Aurea Martins é homenageada na Alerj

Aurea Martins

Áldima Pereira dos Santos é uma das maiores cantoras do Brasil. Nascida em 13 de junho de 1940 no bairro carioca de Campo Grande, na Zona Oeste, Áldima se transformou em Áurea Martins na primeira metade da década de 1960, por iniciativa de Mário Lago (1911 – 2002) e de Paulo Gracindo (1911 – 1995), ator e radialista que levou a então emergente crooner para a Rádio Nacional. Ao longo de mais de 50 anos de carreira acumulou prêmios importantes da nossa música e álbuns aclamados pela crítica especializada.

A moção honrosa será entregue na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), pela deputada estadual Renata Souza (Psol-RJ), que classifica a cantora como um ‘diamante negro lapidado’.

“Com seus talento e repertório marcantes, aliados a sua conhecida generosidade, Áurea Martins veio se tornando, ao longo de seus 80 anos de vida e mais de 50 de carreira, uma das maiores cantoras da música popular brasileira e uma das figuras mais respeitadas entre intérpretes, músicos e outros profissionais da cultura. Áurea é o Brasil da gente: negro diamante lapidado por seus sonhos e por sua coragem”, disse Renata Souza.

Além da entrega da moção, terá uma websérie de 13/4 a 19/4, pra marcar a criação da Semana das Mulheres Sambistas, por lei de autoria da Renata Souza.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.