Ícone do site Notícia Preta

“É reparação histórica”, afirma Teresa Cristina sobre protagonizar vinheta de Carnaval

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A cantora Teresa Cristina é a primeira mulher a gravar o clássico samba da vinheta de Carnaval da TV Globo, nos versos que dizem: “Na tela da TV no meio desse povo, a gente vai se ver na Globo!”. A artista passa a ser a voz oficial do samba que anuncia a cobertura e a transmissão dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e São Paulo neste ano.

A cantora Teresa Cristina é a primeira mulher a gravar o samba da vinheta da TV Globo. Reprodução: Redes Sociais

Para a cantora, trata-se de uma reparação histórica para todas as mulheres do samba. “O samba nasceu das mãos de uma mulher e foi tirado da nossa mão. Acho muito importante que a mulher volte a atuar no samba, em todos os setores, em todos os lugares. A reparação histórica empurra a gente para frente. É muito bom fazer parte disso. A mulher é protagonista porque o samba no Rio de Janeiro chegou pelas mãos de uma mulher. Esse protagonismo era dela. É pegar de voltar o que já foi nosso.”, defende Teresa Cristina. 

A canção da vinheta foi composta por Jorge Aragão e José Franco Lattari em 1973 e ficou famosa na voz do intérprete Neguinho da Beija-Flor nos anos anteriores. Na atual versão, o vídeo traz imagens emblemáticas de desfiles passados, centrada na interpretação da cantora Teresa Cristina para o samba. Os desfiles de 2022 marcam a volta do público com a Marquês de Sapucaí, por conta do cancelamento do carnaval de 2021 e o adiamento deste ano devido à pandemia. 

Leia também: BBB 22: Cantora Teresa Cristina fala sobre Natália Deodato 

Teresa Cristina vibrou nas redes sociais com a repercussão da vinheta: “Acaba de ser exibida a vinheta de carnaval da Globeleza 2022 na TV Globo e meu coração enche de alegria ao ouvir a minha voz na televisão. A primeira mulher a gravar o samba oficial. Essa ação da Globo me deixa feliz porque não fala só sobre minha situação, mas sobre todas as mulheres. O samba chegou no Rio de Janeiro pelas mãos de uma mulher, mas isso foi apagado com o tempo e sabemos muito pouco sobre ela. O meu desejo hoje é que mais mulheres sejam lembradas e que isso continue”. 

A cantora também contou que, para além da felicidade de se sentir participante de algo que a faz tão feliz como o Carnaval, após o convite para a gravação não conseguiu pensar em outra coisa. “Comecei a desfilar só em 2001, passei a minha vida inteira vendo os desfiles das escolas pela televisão, então entendo esse momento, essa cumplicidade que a gente tem como telespectador e o desfile da nossa escola. Eu era sempre a corujinha que ficava acordada a noite toda acordando os parentes avisando: ‘sua escola vai entrar’. Essa música traz esse tipo de recordação para mim. É encontro de família, é noite em claro e surpresa.”, acrescentou. 

Sair da versão mobile