OAB-RJ abre processo de investigação sobre assassinato na Cidade de Deus

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Após tomar conhecimento das imagens com os PMs arrastando um dos corpos baleados na Cidade de Deus, a Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ se manifestou e disse que representantes do órgão estarão no Instituto Médico-Legal para dar suporte para as famílias.  De acordo com informações de moradores, Edvaldo Viana, de 42 anos, e o irmão estavam em uma moto quando foram baleados.

Momento em que os policiais carregam o corpo para a viatura – Foto: Reprodução

Nadine Borges, vice-presidente da Comissão, afirma que o processo de investigação deve ser urgente porque pode ter ocorrido desfazimento de cena do crime. As vítimas foram levadas para o Hospital Cardoso Fontes, na subida da Estrada Grajaú-Jacarepaguá, mas chegaram à unidade mortos.

No vídeo compartilhado no Instagram, é possível ver um deles, com a camisa do Flamengo, sendo arrastado por policiais. O crime aconteceu no mesmo local onde o instalador de mármores Marcelo Guimarães, de 38 anos, morreu após ser baleado durante uma ação da Polícia Militar em janeiro deste ano.

Miriam dos Santos, esposa de Edvaldo, afirma que ele era inocente. Ela estava na igreja quando soube da morte do marido. “Ele era trabalhador, trabalhava de mototáxi junto com esses meninos, na Tirol. Ele não é bandido, não é traficante, ele é trabalhador, gente”, conta Miriam. 

Após as mortes, houve um protesto na comunidade. Alguns trechos da rua Edgard Werneck e das estradas Marechal Miguel Salazar Mendes de Moraes e do Gabinal chegaram a ficar interditados, mas foram liberados no fim desta madrugada, todos os eventos na Cidade de Deus.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.