Ouvidoria sugere que policiais respondam por racismo e abuso de autoridade em SP

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A Ouvidoria da Polícia Civil de São Paulo confirmou, nesta segunda-feira (31), que recebeu as imagens que mostram um policial militar atingindo um homem negro no rosto no último sábado (29) em Caieiras, na Grande São Paulo. Dois vídeos mostram o momento da agressão e o instante em que o PM se refere ao homem como “negão”.  A orientação da Ouvidoria é que os policiais que participaram da ação respondam por abuso de autoridade, racismo e lesão corporal.

Momento em que o policial agride o homem com um soco – Foto: Divulgação

Os vídeos, que tem circulado nas redes sociais, mostram o momento da abordagem, classificada pelo ouvidor como violenta, de dois policiais a três jovens. No vídeo, pode-se ver quando um dos homens alega que a ação é racista ao dizer: “isso é racismo, hein”.  Ainda questionando a ação dos policiais militares, é possível ver que um dos jovens questiona o PM quando é atingido por um soco no rosto. Em seguida, o homem cai no chão.

Em um segundo vídeo, é possível ouvir o momento em que um dos policiais, entre diversos xingamentos e palavrões, se refere ao homem que foi agredido com o soco como “negão”: “Baixa a bola, hein, negão. Baixa a bola. Pra mim você não é p* nenhuma”. Segundo os policiais, a abordagem foi feita por os três homens estarem com sinais de embriaguez enquanto pilotavam motocicletas.  

Vídeo da agressão já está em poder da Ouvidoria da PM de São Paulo – Crédito: Reprodução

Para o ouvidor, Elizeu Soares Lopes, os jovens relataram que no momento da abordagem eles foram chamados de “lixos” e “neguinhos”, o que teria causado a indignação por parte desses e a contestação imediata da abordagem realizada pelos policiais.  Em entrevista ao G1, o ouvidor ressaltou que “há sim elementos indiciários do cometimento do crime de racismo por parte dos policiais, uma vez que adotaram conduta neste sentido pelo menos minimamente, ao cometerem a injúria de cunho racial em face dos envolvidos”.

Leia também: OAB-RJ abre processo de investigação sobre assassinato na Cidade de Deus

 A Polícia Militar de São Paulo informou que o policial autor da agressão foi identificado e afastado do patrulhamento nas ruas, sendo redirecionado para trabalhos internos da corporação.  A Corregedoria da Polícia Militar também informou que apura a conduta do policial a fim de determinar se ele será punido administrativamente e responda por racismo e abuso de autoridade. 

APOIO-SITE-PICPAY

2 Comments

  • Elizabeth Aparecida João

    (01/06/2021 - 08:08)

    Inadmissível.A polícia tem que rever a sua atuação.

  • Elane Carneiro de Albuquerque

    (01/06/2021 - 14:15)

    O agente de segurança pública só faz exatamente aquilo que aprendeu no sistema de segurança pública. Portanto, o agente não é mais culpado/a do que o Estado. Quem deveria responder por isso seria o governo do estado que o agente só representa. O agente é só mais um pobre coitado pobre.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.