Ícone do site Notícia Preta

Após denúncias de racismo em partida, CBF encaminha caso a Justiça Desportiva, mas Flamengo contesta 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e o clube Atlético Mineiro emitiram notas oficiais sobre o caso de um homem, ainda não identificado, que teria ofendido a torcida do Flamengo com gestos racistas durante a partida da final pela Supercopa, no último domingo, 20. A CBF informa que levou o caso ao (STJD) Superior Tribunal de Justiça Desportiva, de acordo com informações do jornal Extra. Ocorre que o Flamengo contestou ambas as notas através do diretor de Relações Externas, Cacau Cotta.

Foto: Reprodução Redes Sociais

“Muito me estranha as duas notas das duas entidades. Pois havendo mando de campo da CBF, a área mais controlada do estádio é o campo. Uma pessoa tem acesso ao campo, segundo a nota do Atlético-MG é visto, retirado, e entregue à segurança da CBF. E o mesmo, depois de toda a divulgação do ocorrido, não é identificado por nenhuma das duas seguranças, e sai do local sem maiores consequências. O jurídico do Flamengo está trabalhando junto ao STJD”, afirmou o dirigente do time carioca. 

Leia também: Após denúncia de racismo na TV, atrizes recebem apoio nas redes sociais 

A CBF informou que “tomou conhecimento das imagens divulgadas por redes sociais e vai encaminhar o caso à Procuradoria do STJD e às autoridades competentes para que ocorra a integral apuração dos fatos”. Já o Atlético se posicionou da seguinte maneira: 

1 – O indivíduo que aparece nas imagens nunca fez e não faz parte do quadro de funcionários do Galo, tampouco é prestador de serviços do Clube; 

2 – O Clube não tem conhecimento de como o indivíduo teve acesso ao gramado, embora saiba que ele não portava credencial que o autorizasse a estar no local; 

3 – Ao perceber a presença de pessoa estranha no gramado, o Atlético, através de um dos seus seguranças, encaminhou o indivíduo aos seguranças da CBF, para que o mesmo fosse imediatamente retirado do local; 

4 – O Clube vai aguardar posicionamento das autoridades sobre o assunto, para que seja esclarecido se o gesto foi uma imitação de comemoração ou um ato discriminatório; 

5 – O Galo reforça sua posição de repudiar veementemente qualquer ato de racismo ou de preconceito contra quem quer que seja. O Galo, afinal, é preto e branco! 

De acordo com relatos de quem presenciou a cena no estádio, o acusado cruza o campo e se vira para a arquibancada com gestos imitando um macaco. Em seguida, ele volta ao grupo do Atlético-MG mais uma vez correndo e fazendo os gestos. Vários torcedores do Flamengo se revoltam e filmam o homem. Os rubro-negros alertaram os seguranças do estádio e disseram que foram chamados de macacos por ele. 

Sair da versão mobile