“Agora virou até moda o cabelo da Marielle […] aquele cabelo horroroso…”, diz apresentador da Rádio Guaíba RS

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O apresentador do programa Bom Dia, da Rádio Guaíba (RS), Rogério Mendelski protagonizou, durante a programação desta quinta feira (7), um caso de racismo contra fenótipo negro no Brasil. 

O jornalista e radialista criticou a maneira constante que é abordado o tema sobre a morte da vereadora Marielle Franco e comentou sobre o desprezo que sente por cabelos que carregam traços negros. “Já que se fala tanto na Marielle. Agora virou até moda o cabelo da Marielle, o que tenho visto de pessoas com aquele cabelo horroroso… cabelo feio”, dispara antes de ser interrompido pela produção do programa. 

O apresentador Rogério Mendelski durante o programa Bom Dia

O outro lado

A reportagem do Notícia Preta procurou o radialista que, em nota, informou que “não pude terminar [o comentário] por que entrou uma ligação de uma entrevista, ao vivo, com o ministro Onix Lorenzoni e, depois, o assunto não voltou. O final do comentário seria sobre o coque, qualquer coque em cabelo feminino. Eu iria dizer que eu gosto – e muito – de cabelos soltos e crespos. Para mim, a Marielle ficava muito mais bonita de cabelos soltos. Seu cabelo solto e crespo – para mim, mais uma vez – lhe dava um charme incrível. Sempre que posso e surge uma oportunidade eu faço elogios a mulheres que tem cabelos crespos (afros, louras, morenas, ruivas, etc.)”, alegou.

O caso

Marielle Franco era vereadora na cidade do Rio de Janeiro e foi morta a tiros no dia 14 de março de 2018, no Estácio (RJ). A parlamentar estava voltando de um evento na Casa das Pretas, na Lapa, quando foi atingida por vários disparos. Até o momento, o PM reformado Roni Lessa e o ex policial Élcio Queiroz são apontados, pela Polícia Civil, como os executores do crime, mas a motivação e os mandantes ainda são desconhecidos.

APOIO-SITE-PICPAY

Ariel Freitas

Jornalista, escritor, rapper e ativista. Criado nos becos estreitos da Vila Estrutural e pelas esquinas do Morro Santana, ambos localizados na zona norte de Porto Alegre. Aos 16 anos, Ariel Freitas era campeão de freestyle na maior batalha do estado do Rio Grande do Sul, a famosa Batalha do Mercado. Atualmente, Ariel Freitas escreve sobre os impactos do racismo na Capital da desigualdade racial. Uma Porto nem tão Alegre assim.

2 Comments

  • Não adianta ele remendar o assunto que está claro que foi um comentário carregado de preconceito

  • Ivanete ribeiro sos santos

    (10/11/2019 - 20:19)

    Alem de racista é tbm covarde.Senhor,a sua colocação foi feita com tanta clareza,que dizer qualquer coisa,negando o que já disse,só mostra o quanto o senhor é covarde.Seja honesto e assuma a sua posição exposta no comentário maldoso que o senhor já fêz.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.