Adolescente recebe apoio de artistas após ser alvo de racismo no TikTok

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nicole Cristina (15) teve seus vídeos do TikTok bombardeados de comentários racistas referentes ao seu cabelo. Alguns artistas foram a público se posicionar sobre o caso de racismo, como Jojo Todinho, Roger Cipó, Tatá Werneck, Seu Jorge e, em especial, a cantora Ludmila que, em seu Instagram, pediu para que uma empresa de produtos para cabelo a tornasse embaixadora da marca. Nicole recebeu alguns produtos e disse estar muito feliz e aproveitando muito os itens.

Nicole foi vítima de comentários racistas em seus vídeos no Tik Tok – Foto: Juliana Ferrer

A adolescente de 15 anos, chateada com as ofensas, gravou um vídeo que viralizou no Tik Tok e no Twitter. Nicole postava vídeos com sua mãe mostrando seu cotidiano e, ao receber um comentário dizendo que ‘era bonita, só precisava se cuidar mais’ respondeu com um vídeo falando “Como assim eu preciso me cuidar mais? Eu já me cuido, esses comentários que ofendem”.

Em entrevista ao Notícia Preta, Ana Cristina, a mãe da Nicole contou quando os ataques iniciaram. “Os ataques começaram quando a gente começou a postar vídeo de macarrão e o pessoal ficava falando que ia cair cabelo e mandavam ela usar touca, só que a gente ‘tava’ na cozinha de casa”, disse. A dona de casa contou que os ataques foram se intensificando com o passar dos meses, falavam para a Nicole tomar banho e chegaram até a chamá-la no privado de macaca podre. Após a repercussão, mãe e filha conversaram com o diretor de responsabilidade do Tiktok, que disse já possuir uma campanha contra o racismo planejada.

Repercussão pós racismo

Em poucas horas o vídeo viralizou na internet e recebeu o apoio da grande maioria dos internautas. “Ficamos desesperadas e meio animadas também, um sentimento de medo e felicidade. Medo porque a pessoa que sofre racismo, sofre ataques quando denuncia e felicidade porque a gente teve apoio e isso me ajudou” disse Nicole.

Agora, Nicole tem mais de 417 mil seguidores que a apoiam na plataforma. A repercussão foi tão grande que incentivou sua mãe a fazer a transição capilar. “Isso fez com que eu assumisse a forma natural do meu cabelo, parar de alisar ele para agradar as pessoas”, disse a mãe da adolescente.

Leia também: Mulheres que alisam o cabelo tem 30% mais chances de desenvolver câncer de mama, revela estudo

A jovem, que é faixa verde no Karatê, pretende continuar a treinar e a fazer vídeos para a internet, sem se importar com os comentários racistas.

APOIO-SITE-PICPAY

3 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.