Um em cada cinco brasileiros vive em moradia precária, construída com madeira ou sem banheiro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Atualmente, 45,3 milhões de brasileiros moram em habitações com alguma precariedade ou insegurança. Entre a população empobrecida, que sobrevive com menos de R$436 por mês, a situação é ainda pior e chega a quase metade, 43,2%, segundo dados da Síntese dos Indicadores Sociais, do IBGE.

Moradias sem banheiro, construídas com restos de madeira ou sem qualquer tipo de documentação. Casas com mais de três pessoas dormindo no mesmo quarto ou nas quais as famílias gastam mais de 30% da renda com aluguel. É assim que vivem 21,3% dos brasileiros. Os dados coletados em 2019, revelam que 45,3 milhões de pessoas no país moravam em habitações com alguma precariedade ou insegurança.

Foto: Agência Brasil

A situação precária é mais comum nas residências onde vivem negros (26,5%) do que nas de  brancos (15%). A ausência falta de documentação que comprove a aquisição do imóvel é o principal problema para ambos os grupos, segundo a pesquisa.

Isso revela que a população preta e parda, em geral, vive em domicílios com condições piores de moradia do que a população branca. Em parte, esta diferença está relacionada à distribuição geográfica onde residem e em parte à condição monetária“, explicou o analista do IBGE, Bruno Perez, em entrevista ao jornal O Globo.

O déficit habitacional hoje no Brasil é de 7,8 milhões de residências, isso sem contar a falta de acesso aos serviços de abastecimento de água por rede geral, esgotamento sanitário por rede coletora e coleta domiciliar de lixo. Problemas históricos que se arrastam há décadas e governo após governo não é encontrada uma solução.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.