“Terei que ensinar para minha filha sobre como lidar e ter uma mãe negra”, brasileira sofre racismo no TikTok

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A assistente jurídica, Tiane Gleason, de 34 anos de idade, recebeu ofensas racistas após começar a postar vídeos junto com sua primogênita e sua rotina de imigrante nos Estados Unidos. Ela possui um casamento interracial e sua filha, Eleanor, é parecida com o pai, que tem a pele branca. Um dos comentários de usuários do Tiktok foi ”você vai ser demitida por expor a filha dos outros”.

Em entrevista à coluna Universa, do Uol, ela contou sobre ter se preparado para mostrar à filha como enfrentar o mundo e agora também a como lidar e ter uma mãe negra. “Terei que ensinar para minha filha sobre como lidar e ter uma mãe negra. Já estou acostumada um pouco, pois passei a vida inteira ouvindo isso, porque minha mãe era indígena e achavam que eu e minha irmã éramos adotadas”. Tiane também contou sempre ter perguntas nos vídeos se ela é babá da criança.

A brasileira vive há cinco em Los Angeles, na Califórnia, e ja tem 170mil seguidores no Tiktok falou também sobre a dificuldade de engravidar e já estava se preparando para adoção. “Queríamos engravidar e fizemos várias tentativas por dois anos. Eu tenho fibromas e, por isso, seria mais difícil ter um bebê, mas não sabia que seria tanto. Não foi um momento fácil. Começamos um tratamento, entramos para a fila da adoção e logo depois descobri que estava grávida.”.

Tiane Gleason, de 34 anos

Leia também: 57 mil recém-nascidos foram registrados sem o nome dos pais em 2022

Tiane finaliza informando que o esposo ainda não tinha presenciado atos racistas até se casar com ela e também como é o racismo nos EUA. “Meu marido é branco, judeu e já chegamos a ouvir que ele não deveria ficar comigo porque sou negra. Uma vez um homem quase bateu nele na rua, dizendo que ele não deveria estar casado comigo. Aqui nos Estados Unidos o racismo é mais escancarado, e é encarado como liberdade de expressão. Eles acreditam que você está tendo liberdade de expressão ao falar algo assim. O Bryan [marido dela] nunca tinha visto o racismo de perto até casar comigo”, conclui a assistente juridica.

APOIO-SITE-PICPAY

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.