Quase 70% dos casos de feminicídio cometidos no RJ em 2019 foram contra mulheres negras, aponta Dossiê Mulher 2020

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um levantamento feito pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) com dados referentes a 2019, e divulgado nesta quinta-feira (27) mostra que entre as 85 vítimas de feminicídio no estado do Rio de Janeiro no ano passado, 58 eram mulheres negras (68,2% do total) e 49 tinham entre 30 e 59 anos. O dossiê revela ainda que 82,4% das mortes foram cometidas por companheiros ou ex-companheiros das mulheres, sendo 78,8% dos casos dentro de uma residência.

A forma como estas mulheres foram assassinadas é assustadora: 32,9% foram mortas com facão, faca ou canivete. Em 17,6% dos casos registrados, o filho ou filha presenciou o crime. Para 44% das vítimas, a motivação do autor do crime foi o fim do relacionamento.

A pesquisa revela ainda que os crimes contra a vida, relacionados à violência física, foram registrados por maioria de mulheres negras, enquanto os crimes de natureza patrimonial, moral ou sexual foram registrados por maioria de mulheres brancas.

Violência Sexual

Em 2019, o Estado do Rio de Janeiro registrou 6.692 casos de violência sexual, e crianças e adolescentes foram a maioria das vítimas desse tipo de crime. A cada dez vítimas de estupro, sete tinham até 17 anos. A maior parte das tentativas de estupro (91,8%) e de estupro (86%) foram cometidas contra mulheres, sobretudo meninas e adolescentes.

Mais da metade dos crimes contra crianças e jovens (58,9%) aconteceram dentro de casa. Meninas de até 14 anos representam 65,9% das sobreviventes de estupro no estado. Mais de 44% dos crimes de estupro de vulnerável foram praticados por pessoas conhecidas, sendo pais e padrastos responsáveis por 18,5% dos registros.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.