Professora da UnB lança livro “Escritos de liberdade” em Salvador

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nesta terça-feira (21), a autora Ana Flávia Magalhães Pinto lança o livro “Escritos de Liberdade: literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista”, às 17h, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Largo do Pelourinho). A obra da professora do Departamento História da Universidade de Brasília (UnB) apresenta um estudo detalhado sobre as articulações diretas e indiretas realizadas por homens negros, livres e letrados atuantes no cenário político-cultural das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro na segunda metade do século XIX.

Ana Flávia Magalhães Pinto lança livro nesta terça-feira Foto: Midia Ninja

Luiz Gama, Machado de Assis, José do Patrocínio e mais um grande número de gente livre “de cor” buscaram conquistar e manter espaços no debate público sobre os rumos do país, bem como atuaram na defesa da cidadania de pessoas negras livres, libertas e escravizadas. Indo de encontro às cotidianas práticas de “preconceito de cor” e “ódio de raça”, fizeram da atuação em jornais um meio estratégico para a criação de formas de resistência, de confronto, mas também de diálogo.

A docente ressalta a importância do conhecimento para formação de uma identidade nacional. “Além da indiscutível importância de africanos e seus descendentes na formação nacional, o Brasil é atualmente um país de maioria populacional negra. Reconhecer os caminhos estabelecidos por indivíduos e grupos negros em defesa de seus lugares na liberdade e do respeito à cidadania é fundamental para que brasileiros e brasileiras até se localizem melhor na própria história do país”, completa a autora.

Ana Flávia Magalhães Pinto é doutora e pós-doutora em História pela Unicamp (2014 e 2017), mestre em História pela UnB (2006), graduada em Jornalismo pelo UniCEUB (2001) e História pela Unip (2017). Atualmente é também coordenadora nacional do GT Emancipações e Pós-Abolição da Anpuh (2017-2019) e coordenadora da Atividades Formativas do Festival da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha (Latinidades).

Para a docente Ana Flávia, “O racismo é um elemento constitutivo da sociedade brasileira e até mesmo os dados estatísticos oficiais registram isso. O livro “Escritos de Liberdade” oferece uma oportunidade para que se reflita como homens negros, livres, letrados e que exerceram influência em espaços da cultura e da política nacional lidaram e conseguiram enfrentar esse problema ainda durante a vigência da escravidão e no imediato pós-abolição. Sem negar a agência dos sujeitos, a obra não deixa de lidar com um cotidiano de violência racial que autoriza prática de precarização da liberdade e da cidadania”.

Depois de Brasília, São Paulo e Salvador, “Escritos de Liberdade: literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista” será lançado em Porto Alegre, Goiânia e Jataí (GO).

Serviço

Lançamento do livro “Escritos de Liberdade: literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista”
Data: Dia 21 de maio,
horário: 17h
local: na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Largo do Pelourinho).
Entrada franca.
Classificação indicativa: livre.
O livro também está disponível para compra no link: http://www.editoraunicamp.com.br/produto_detalhe.asp?id=1179 .

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.