O Discurso de proteção: aliados na contramão

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por Thiffany Odara – Pedagoga, Especialista em Gênero, Raça/etnia e sexualidade – @thiffanyodara

Foto: Pixabay

Chegamos na última semana de campanha eleitoral que ocorrerá no próximo domingo (15/11), e o que tivemos nesse período? Eleição de Joe Biden, Apagão no Amapá , ameaça  de guerra do presidente inominável  contra os  E.U.A., além de mais uma das suas declarações homofóbicas “Brasil é um país de maricas”,  só para constar aqui tem  tem maricas, sapatão, viada, travestis  para lutar e resistir contra sua lgbtfobia, dito isso… O que temos para essas eleições? Muitos B.O.’s e poucas propostas efetivas.

A militância coletiva formou quem eu sou, para pensar na luta e na emancipação da coletividade, sem explorar e sem atingir meus lucros pessoais. Logo, chamo ATENÇÃO para os partidos que dizem buscar uma maior igualdade social, principalmente aqueles que criticaram sobre meus posicionamentos políticos, as críticas construtivas que teci ao apontar dores, sofrimentos, como também mostrando caminhos e que afirmam terem lutas igualitárias.

É salutar evidenciar a importância dos partidos progressistas, os partidos de esquerda, alinhar seus discursos as suas práticas, a crítica interna, para além de ser necessária é vital, pois Vidas Negras importam e a casa grande sempre foi nosso algoz.

Logo os partidos ditos liberais, pecam muito ao não abrir diálogo com a sociedade civil, com o povo, com os movimentos sociais. Estes mesmos partidos pecam quando acham que devem executar ações e políticas sem consultar o povo, a periferia; pecam por acreditar que devem governar ou serem demandados pelo empresariado e empobrecer cada vez mais o povo… Esse tipo de perfil não me protege, me mata e acaba fazendo da esquerda o palanque político pra direita.

Acordem, escutem! O povo é quem constrói com vocês! Porque estamos cansados de tanto sofrimento e de ver o nosso povo morrer por negligência desses partidos.

Rogamos, pois não queremos ver mais no chão a nossa massa encefálica. Para isso parem de nos utilizar como massa de manobra, enaltecendo um discurso tão contraditório que só faz me enlouquecer, vez que esses partidos, ditos de esquerda, precisam parar de fingir que são eles quem me defende.

POVO, OLHEM SEU VOTO! O PODER É NOSSO, ELE MUDA A HISTÓRIA.

Thiffany Odara – Pedagoga, Especialista em Gênero, Raça/etnia e sexualidade, Educadora social e Redutora de Danos. Ativista do movimento Negro e LGBT

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.