Levantamento revela que 78% das candidatas negras sofreram ataques virtuais no período eleitoral

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um levantamento feito pelo Instituto Marielle Franco contabilizou que 78% das candidatas negras relataram ter sofrido ataques virtuais no período eleitoral.

De 21 a 28 de outubro, 142 mulheres negras candidatas pertencentes a 93 municípios (em 21 estados) e 16 partidos responderam a um questionário para analisar o cenário da violência política eleitoral neste ano. De acordo com o relatório, os principais autores dos ataques virtuais são grupos não identificados (45%), candidatos ou grupos militantes de partidos políticos adversários (30%). Também foram identificados grupos misóginos, racistas e neonazistas (15%).

Em agosto desse ano, a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), sofreu racismo no Facebook. Um internauta xingou a parlamentar de “negra idiota” e “preta ridícula”. Ele mencionou ainda os quilombolas de maneira pejorativa e afirma que as cotas eleitorais vão “inviabilizar os partidos”.

Benedita registrou o caso na Delegacia de Crimes Raciais e delitos de intolerância (Decradi), no Centro do Rio, e comentou: “É lamentável que ainda tenhamos episódios assim, mas continuarei lutando, como sempre fiz em toda a minha vida. Não vão me calar jamais, pois racistas não passarão!”.

Ainda de acordo com o Instituto, apenas 32,6% das candidatas relataram ter denunciado os ataques virtuais, enquanto 29% responderam não querer denunciar e 17% afirmaram ter medo em compartilhar o ocorrido.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.