Filho de doméstica morre em prédio de luxo aos cuidados da patroa; mãe tinha a função de passear com os cachorros da família

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nesta quarta-feira (3), a Polícia Civil de Pernambuco informou que a patroa da empregada doméstica Mirtes Renata, foi parcialmente responsável pela morte do seu filho, Miguel Otávio Santana da Silva, de cinco anos. O menino morreu na terça-feira (2), após cair do 9° andar da sacada de um prédio de luxo no Centro do Recife, em Pernambuco. A informação inicial era que, na hora do acidente, a empregada estaria trabalhando no 5° andar do prédio, mas hoje foi revelado que, na verdade, a empregada estava cumprindo a função de passear com os cachorros da família, enquanto a patroa cuidava do seu filho. A empregadora, que não teve a identidade revelada foi presa, pagou uma fiança de R$ 20 mil e responde em liberdade.

De acordo com o delegado Ramón Teixeira, a patroa, que não teve a sua identidade revelada, foi parcialmente responsabilizada pelo crime por estar com a “guarda momentânea da criança”. Ainda segundo o delegado do caso, o crime está previsto no Artigo 13º do Código Penal, que trata de ação culposa, por causa do não cumprimento da obrigação de cuidado, vigilância ou proteção.     

Miguel tinha cinco anos e caiu do 9° andar do prédio. Foto: divulgação/whatsapp

Empregada doméstica pode trabalhar?

O decreto do Governo de Pernambuco informa que as empregadas domésticas que trabalham na residência de profissionais que atuam em serviços essenciais, na linha de frente do combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), como médicos, policiais, entre outros, também estão dentro do grupo de pessoas que pode exercer o trabalho neste período de quarentena. As demais empregadas domésticas, que atuam em casas de pessoas que não se encaixem neste perfil, continuam impossibilitadas de atuarem neste período de isolamento. 

APOIO-SITE-PICPAY

Thiago Augustto

Um filho negro adotado. Thiago Augustto faz questão de marcar sua existência pela raça e pela oportunidade de viver. Transformou o tabu da adoção num grande motivo de orgulho. É criador de conteúdo e palestrante. Se formou em jornalismo em 2014, desde então, trabalha na TV Globo Recife, atuando como produtor e repórter. No Notícia Preta, é editor e coordena os colaboradores das regiões norte e nordeste. Em 2021, criou o Futuro Black - um banco de talentos e de fontes profissionais pretas.

3 Comments

  • Tenha ao menos a de é dia de postar o nome da patroa. Está na internet, qualquer jornalista incompetente consegue saber!

    • Bom dia! Sou editor do site Notícia Preta e, em cumprimento à Lei de Abuso de Autoridade (Nº 13.869/2019), a polícia disse que ñ informou o nome da patroa indiciada pela morte de Miguel. Nós somos um jornal antirracista e não estamos acima da Lei. Que ótimo que você (e todo Brasil) já tem acesso ao nome da pessoa, mas nós, como jornal/jornalistas vamos continuar seguindo a legislação, mesmo sabendo que o ideal é escancarar os nomes de todos que atentem contra a vida de nossos irmãos. Abraços fraternos e fico à disposição

  • […] nas residências da família, mas tinham vínculos formais com a Prefeitura de Tamandaré. Após a morte de Miguel, que caiu do nono andar do prédio em que os patrões moravam, no bairro de São José, área central do Recife, depois de ter sido deixado sozinho no elevador […]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.