Festa de Yemanjá é reconhecida como Patrimônio de Salvador

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Neste sábado (01), a tradicional Festa de Yemanjá recebeu o título Patrimônio Cultural de Salvador. De acordo com a Fundação Gregório de Mattos (FGM), a homenagem à divindade do Candomblé, teve início na década de 20, quando um grupo de pescadores ofereceu presentes à rainha do mar, em troca da fartura de peixes. Desde então, todos os anos, no dia 2 de fevereiro, os pescadores do bairro Rio Vermelho presenteiam a orixá.

O tombamento foi realizado pela Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Bahia, apoiada pela Colônia de Pescadores, organizadora do evento. A cerimônia de reconhecimento acontece às 10h, na Colônia. Após a solenidade, a Festa de Yemanjá entrará no ‘Livro do Registro Especial dos eventos e Celebrações’ da cidade. A expectativa é que seja criado um plano de ações para a valorização e proteção da festividade.

Foto: Pinterest

A socióloga Vilma Reis, pré-candidata à Prefeitura de Salvador, afirma que a celebração é uma das maiores festas, ligada à religião de matriz africana, da Bahia.

“Eu tenho uma memória afetiva com essa festa, principalmente por conta dos marcos de resistência negra, no bairro do Rio Vermelho. O nosso povo, do Alto da Sereia, que é o povo que criou essa festa junto com os pescadores, naquela comunidade secular do Alto da Sereia e que hoje luta para se manter nesse território e ser reconhecida como essa comunidade secular”, disse Vilma Reis.

Vilma Reis na Festa de Yemanjá no Rio Vermelho, em Salvador. Foto: Ismael Silva

Ela ainda salientou, “Yemanjá é nossa mãe. Yemanjá é mãe de todos os orixás. Yemanjá que siga protegendo nossos oris e nos dando força para seguirmos defendendo nossas demandas. As demandas da maioria. As demandas daqueles e daquelas que estão nas margens. As demandas das suas filhas e dos seus filhos”, completou a socióloga.

A título acontece depois da Prefeitura de Salvador ser acusada de racismo religioso ao mudar nome da “Festa de Yemanjá” para “Festa do 2 de fevereiro”, no ano de 2019. Após dez meses de negociações entre a Prefeitura de Salvador e o Ministério Público da Bahia (MP-BA), fpo assinado em dezembro do mesmo ano um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). A Festa de Yemanjá terá seu nome e tradição preservada na capital baiana.

APOIO-SITE-PICPAY

Louise Freire

Jornalista e apaixonada por livros. Concluiu sua graduação em 2016 e no mesmo ano estagiou em uma revista. Participou da produção de um programa da TV Brasil e trabalhou como produtora audiovisual.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.