EUA deportam 30 crianças brasileiras para o Haiti

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em meio à grave crise migratória nos Estados Unidos, 30 crianças brasileiras foram deportadas para o Haiti, nesta terça-feira (28). As crianças têm, em sua grande maioria, até três anos de idade e estavam acompanhadas dos pais, haitianos, que saíram do Brasil para fazer a travessia do México ao país norte-americano.  

A maioria das crianças tinha até três anos de idade – Foto: Getty Images

“As crianças brasileiras não apresentavam qualquer problema maior, caso contrário, seriam encaminhadas para assistência específica”, afirmou Giuseppe Loprete, chefe da missão da Organização Internacional de Migração (OIM) em território haitiano, à BBC News Brasil. 

Loprete ainda ressaltou que as crianças brasileiras, por serem filhos de haitianos, conseguem emitir documentos sem maiores problemas. “Eles podem obter documentos haitianos aqui, certidão de nascimento e carteira de identidade. As autoridades locais já informaram que irão facilitar isso. Mas enquanto eles estão fora do país, é difícil que consigam essa documentação”, explicou Loprete.

Crise Migratória

Cerca de 15 mil haitianos já foram deportados dos Estados Unidos, nos últimos dias, e levados para a cidade de Del Rio, na fronteira com o México. Até o momento, cerca de 3,5 mil pessoas já foram levadas à cidade de Porto Príncipe, capital do Haiti. 

Ainda com dados incompletos, o número de haitianos localizados por agentes americanos na fronteira, somente este ano, já soma 29,6 mil pessoas, 6,5 vezes maior do que o total de 2020. “Eles dizem que foram instruídos por outros haitianos que já passaram para os Estados Unidos e por isso também foram pra lá. Infelizmente, é assim que funciona”, conclui Loprete.

Além das 30 crianças brasileiras, outras 182 crianças chilenas estão na mesma situação e também foram deportadas dos Estados Unidos. 

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.