Presidente do Haiti estava investigando autoridades ligadas ao tráfico de drogas quando foi morto, diz NYT

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Fonte: Reuters

O então presidente haitiano Jovenel Moise estava montando uma lista de autoridades e empresários ligados ao tráfico de drogas antes de seu assassinato em julho, informou o jornal The New York Times neste domingo, acrescentando que ele pretendia dar os nomes ao governo dos Estados Unidos. 

Moise foi assassinato por um grupo de homens armados, inclusive ex-soldados colombianos, que invadiram sua casa na calada da noite. Autoridades haitianas prenderam 45 pessoas, mas ainda não acusaram ninguém pelo crime. 

Alguns dos presos confessaram que recuperar a lista com nomes de suspeitos de traficar drogas era uma prioridade, segundo o Times, citando três autoridades haitianas de nível sênior que têm conhecimento sobre a investigação. 

“O documento era parte de uma série de confrontos maiores entre Moise e políticos e empresários poderosos, alguns suspeitos de envolvimento com tráfico de narcóticos e de armas”, escreveu o Times.

Leia também: EUA deportam 30 crianças brasileiras para o Haiti

Um porta-voz do escritório do primeiro-ministro Ariel Henry não respondeu imediatamente a um pedido de comentários.

O assassinato de Moise deixou um vácuo de poder no Haiti, que alimentou uma onda de sequestros por parte de gangues que agora controlam boa parte do país caribenho. 

O governo prometeu fazer justiça, mas autoridades do Judiciário dizem tem sofrido intimidação e ameaças de morte. 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.