Em PE, massagista Paulo Mariano, está ”preso por engano” desde o dia 24 de fevereiro

APOIE O NOTÍCIA PRETA


Paulo Mariano, de 27 anos, esposo de Amanda Araújo e pais de dois filhos pequenos, um menino e uma menina, está ”preso por engano” desde o dia 24 de fevereiro deste ano. O massagista, que trabalha no futebol do Náutico, de acordo com a Polícia Civil de Pernambuco, foi acusado de ter participação em um assalto a ônibus no dia 25 de dezembro de 2018. A defesa de Paulo, no entanto, provou que neste dia o cliente estava em casa comemorando o natal com a família.

A defesa argumentou que Paulo foi confundido com outra pessoa. De acordo com os advogados, quatro pessoas tiveram participação nesse assalto na noite de natal. Um dos suspeitos do assalto teria dito à polícia que um dos homens se chamava Mariano e isso teria sido o suficiente para terem chegado ao massagista. Ainda de acordo com os advogados, a polícia fez uma busca por redes sociais e prendeu a pessoa errada. 

Paulo Mariano curtindo a noite de natal com a família no dia 25 de dezembro de 2018, data que cometeram o assalto. Foto: reprodução/ Facebook


”Houve um equívoco grande no processo. Infelizmente, na parte que foi feito o inquérito policial, o Paulo (Mariano) foi confundido com outro rapaz de nome Mariano. Até hoje, quase um mês, ele está esperando que a Justiça solte, porque não tem qualquer participação nesse assalto de que está sendo acusado. Não Paulo Mariano Neto, mas um rapaz conhecido como Mariano”, afirmou o advogado Fernando Coelho a reportagem do Globoesporte.

”Quando o menor participante do crime foi identificado, ele citou o acusado que até então não tinha sido conhecido como sendo Mariano, casado com uma mulher chamada Taci, que teria sido casada com uma pessoa de nome Aldair, da comunidade de Joana Bezerra. Segundo o relatório policial, não se conseguiu localizar Taci para se localizar o tal Mariano. Aí, o que diz o relatório policial é que através de redes sociais, se viu que Paulo Mariano, que está preso hoje, teria amizade em rede social com pessoas da comunidade de Joana Bezerra. Logo, o relatório concluiu que o Mariano que o menino citava seria Paulo Mariano”, complementou ao globoesporte a sua outra advogada, Virgínia Kelle.

Para agravar a situação, desde o dia 6 de março, Paulo Mariano está sem ver os seus familiares, isso porque o Governo suspendeu as visitas presenciais em todo o sistema prisional do estado, como forma de evitar aglomerações e conter o avanço da Covid-19. Desde a data, Paulinho, como é conhecido, só tem contato com seus advogados às segundas, quartas e sextas. 

Paulo Mariano é massagista do time do Náutico. Foto: oto: Caio Falcão/CNC

Confira a nota da Polícia Civil de Pernambuco na íntegra:

A Polícia Civil de Pernambuco, por meio da Delegacia de Polícia Interestadual e Capturas – Polinter, deu cumprimento a mandado de prisão referente ao crime de roubo no último dia 24 de fevereiro em desfavor de um homem, de 27 anos, no Brejo da Guabiraba, no Recife. O homem foi encaminhado ao COTEL.

A PCPE esclarece que a prisão ocorreu como resultado de inquérito policial realizado pela 1ª Delegacia Seccional de Polícia – Santo Amaro, responsável pela investigação de roubos a coletivos na área do Terminal Integrado de Joana Bezerra e adjacências, local beneficiado com significativa redução de assaltos nessa modalidade. A investigação foi conduzida de forma imparcial e observando critérios técnicos, utilizando diversos elementos probatórios até a conclusão do procedimento que culminou com a identificação da autoria do crime por meio de depoimentos, reconhecimento por parte de envolvidos e vítimas.

Após a conclusão, o Inquérito Policial foi remetido ao Ministério Público que se posicionou e encaminhou ao Poder Judiciário, incumbido de apreciar a legalidade do feito e reunião dos indícios necessários para formação do convencimento cabível, de acordo com ordenamento jurídico

Nota do Ministério Público de Pernambuco (MPPE)

Confira nota na íntegra:

A 1ª Promotoria Criminal de Justiça da Capital reitera que não vai se manifestar quanto ao processo em andamento 0009343-08.2019.8.17.0001, disponível no site do TJPE. Inclusive, há um habeas corpus em apreciação no TJPE 0003072-78.2021.8.17.9000.

Toda manifestação da referida Promotoria será feita nos autos do processo em questão. O acompanhamento pode e deve ser feito através de consulta ao site do TJPE.

A 1ª Promotoria Criminal da Capital ressalta ainda que o caso foi apreciado na Central de Inquéritos da Capital, foi formalizada a denúncia, recepcionada em juízo e qualquer apreciação quanto à liberdade compete ao judiciário.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.