Devido crise econômica, migração para escolas públicas aumenta em 30%

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um levantamento realizado pela Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro revela que 17,09% das matrículas em escolas públicas em 2021 foram feitas por alunos vindos de escolas privadas, um aumento de 13,75% em relação ao ano de 2020 e 12,9% em relação a 2019. Ainda de acordo com a Secretaria, nos últimos cinco anos, a entrada de alunos da rede privada para a pública se manteve em uma média de 13,4%.

Quase 50 mil rematrículas não foram feitas em 2020 nas escolas particulares – Foto: Reprodução

As dificuldades financeiras, consequência gerada, principalmente, pela crise sanitária da Covid-19, abalou as estruturas de algumas famílias brasileiras e a educação não ficou de fora, fazendo com que os pais, devido à recessão econômica, optarem por migrar seus filhos da rede privada para a pública.

Em entrevista para O Globo, a avó de uma garota de 10 anos, aluna no Rio de Janeiro, revelou ter precisado tirar sua neta da escola particular, onde estudou até 2020. Ela contou ter tomado essa decisão, pois precisou fechar o seu comércio e arcar com a mensalidade da escola já não era mais possível. “Não queríamos tirá-la do ensino privado. A mãe dela ainda tentou negociar, mas a escola ofereceu condições que não estavam ao nosso alcance”, comenta.

Leia também: Apenas 0,3% dos profissionais da educação receberam as duas doses da vacina em Fortaleza (CE)

Este caso não seria o único, nem um dos poucos, pois, somente no Rio de Janeiro, segundo o levantamento, quase 50 mil alunos não renovaram a matrícula na rede privada, gerando uma média de 30% a mais da população carioca em escolas públicas nos últimos cinco anos, entrando em disputa com os estudantes da rede municipal e estadual por conta desta migração.

De acordo com dados do Censo Escolar 2020, o Brasil conta com mais de 180 mil escolas e, destas, 42 mil são instituições particulares e as mensalidades do ensino infantil variam de R$ 295,60, em Alagoas, a R$ 906,89, no Distrito Federal. Já o ensino fundamental tem uma variação entre R$ 309,18, também em Alagoas, e 975,77, também na capital federal. R$ 1251,88 é o valor médio das mensalidades do ensino médio no Distrito Federal e, em Alagoas, as mensalidades giram em torno de R$ 486,35, segundo dados do Censo Escolar 2020.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.