Coronavírus: Médicos franceses sugerem testes com africanos

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O discurso racista dos médicos franceses sobre o teste da vacina foi alvo de críticas de diversas personalidades africanas. Em debate veiculado no canal francês da TV LCI, Jean-Paul Mira, um dos diretores do hospital Cochin de Paris e Camille Locht, diretor do INSERM (organização pública francesa exclusivamente dedicada às pesquisas biológicas) afirmaram que deveria se fazer um estudo na África sobre o novo coronavírus.

“Se eu posso ser provocativo, não deveríamos estar fazendo este estudo na África, onde não há máscaras, tratamentos ou ressuscitação?”, disse Jean-Paul Mira.

Enquanto isso, Camille Locht respondeu durante do debate transmitido ao vivo: “Você está certo”.

Os discursos inflamaram as críticas ao debate na Tv francesa. Inclusive, os jogadores africanos consagrados como, por exemplo, o marfinense Didier Drogba e o camaronês Samuel Eto’o.

“A África não é um laboratório de testes. Gostaria de denunciar essas palavras humilhantes, falsas e, acima de tudo, profundamente racistas. Isso é absurdo! Os líderes da África têm a responsabilidade de proteger as pessoas desse plano terrível”, disse Didier Drogna, ex-jogador do Chelsea e Costa do Marfim.

Já o ex-jogador Eto’o, com passagem vitoriosa no Barcelona e Inter de Milão, também se revoltou com o discurso dos médicos.

“Filhos da p***. Vocês são uns m***. A África não é um lugar para vocês brincarem”, afirmou.

O senegalês Demba Ba, nascido na França, se juntou a Eto’o e Drogba e também se manifestou em suas redes sociais: “Bem-vindo ao Ocidente, onde os brancos se consideram tão superiores que o racismo e a debilidade são banalizados. Hora de se levantar! “.

A situação do coronavírus no continente africano

Até o momento desta publicação, África já confirmou 7.064 casos da doença, além de 290 mortes confirmadas.

África do Sul é o país do continente com mais casos de coronavírus- total de 1462 infectados e cinco mortes confirmadas.


APOIO-SITE-PICPAY

Luis Fernando Filho

Jornalista formado pela UFSM, militante dentro dos movimentos negros e estudantis, com experiências em veículos de comunicação independentes. Um amante do futebol e apaixonado por histórias de pessoas reais. Minha maior paixão é a reportagem.

3 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.