Congresso perdoa dívidas de R$ 1 bilhão de igrejas

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O valor corresponde a cerca de 1,6 milhão de auxílios emergenciais, no valor de R$ 600,00

O presidente Jair Bolsonaro ao lado do missionário R. R Soares em evento evangélico – Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) tem até a próxima sexta-feira (11) para sancionar ou vetar o texto que foi aprovado pelo Congresso Nacional que perdoa aproximadamente R$ 1 bilhão em débitos aplicados pela Receita Federal a igrejas e templos religiosos. Segundo o jornal O Estado de São Paulo, os valores são referentes a débitos e multas.

Ainda de acordo com a informação de O Estado, em abril deste ano, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o deputado federal David Soares (DEM/SP), que é filho do missionário R.R. Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, e o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Neto para tratar das dívidas da igreja com o Tesouro Nacional. David Soares é autor da emenda parlamentar sobre o perdão das dívidas dos templos religiosos. Ao todo, a Igreja de R.R. Soares possui uma dívida de aproximadamente R$ 37 milhões na Dívida Ativa da União. Ainda de acordo com a reportagem de O Estado, o deputado se recusou a falar com o veículo. 

Auxílio Emergencial

No outro lado da moeda, está a votação da Medida Provisória 1.000, que prorroga o prazo do pagamento do Auxílio Emergencial da Pandemia do Coronavírus até dezembro deste ano. O valor do débito das igrejas e templos religiosos equivale a mais de 1,6 milhão de auxílios, computando o valor de R$ 600,00. No entanto, a equipe econômica do Governo e deputados de situação querem a redução das parcelas dos atuais R$ 600,00 para R$ 300,00. Ou seja, seria o equivalente ao pagamento de 3,2 milhões de auxílios emergenciais em todo o país. 

Defesa dos templos

O presidente Jair Bolsonaro já defendeu publicamente que poderia acabar com as taxas cobradas das igrejas e ainda disse que o Governo Federal deveria “fazer justiça com os pastores, com os padres, nessa questão tributária”. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o chefe do executivo nacional repassou a definição para os técnicos da equipe econômica que ainda resistem em tomar tal decisão.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.