Brasileiros denunciam xenofobia e racismo em universidade portuguesa 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Alunos brasileiros da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa relataram casos de xenofobia e racismo em um canal aberto pela instituição. De acordo com o jornal português Diário de Notícias, foram realizadas mais de 50 queixas contra 31 professores no período de 14 a 25 de março. Foram casos de assédio moral, assédio sexual, práticas discriminatórias de sexismo, xenofobia, racismo e homofobia ocorridos dentro das dependências da universidade quanto em interações online. 

Foto: Pexels

Entre as atitudes descritas nas denúncias, estão “observações sugestivas, piadas ou comentários sobre a aparência ou condição sexual”, envio de “cartas, mensagens ou e-mails indesejados” e promoção de “contacto físico intencional e não solicitado, ou excessivo”. Os alunos responsáveis pelas denúncias, que incluem brasileiros e africanos, não tiveram suas identidades reveladas. 

Leia também: Apenas 20% dos casos de racismo no futebol resultam em punição

Em entrevista publicada pelo jornal Folha de São Paulo, a mineira Bárbara Magalhães, que cursa arquitetura na Universidade de Lisboa, afirmou que já desistiu de prestar queixa contra um professor por não ter recebido suporte da instituição. “A conversa sobre assédio e discriminação ainda precisa acontecer com mais seriedade, e é preciso haver mais conscientização dos professores. Conversando com colegas, notei que é algo muito enraizado, muitos nem devem se dar conta que estejam praticando assédio moral.” 

Entre as atitudes descritas nas denúncias, estão “observações sugestivas, piadas ou comentários sobre a aparência ou condição sexual”, envio de “cartas, mensagens ou e-mails indesejados” e promoção de “contacto físico intencional e não solicitado, ou excessivo”. Ainda de acordo com as denúncias, aqueles que vêm do Brasil são pejorativamente chamados de zucas, termo ligado à palavra “bazuca”. 

Em relação a casos de racismo, um levantamento realizado pelo Observatório da Discriminação Racial no Futebol, divulgado nesta quinta-feira (7), revelou que apenas 35 casos de discriminação racial ocorridas no futebol entre os anos de 2019 e 2021 tiveram algum tipo de punição. Ao todo, durante o período citado, foram 171 denúncias de crimes. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.