Bilionário americano defende indenização por reparação de US$15 trilhões pela escravidão

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Robert Louis Johnson, primeiro homem negro bilionário dos Estados Unidos e dono do canal de televisão Black Entertainment Television, é favor de indenização trilionaria do governo americano devido as problemáticas causadas pela escravidão para população afrodescendente e o resultado extendido até os dias atuais.

Johnson teve como base as últimas condenações pela justiça americana no caso de George Floyd onde o governo fez uma promessa de destinar US$50 bilhões para ações de combate ao racismo, US$10 bilhões de dólares no estado do Illinois a fazendeiros negros e flexibilização nas dívidas em aberto. Porém devem ser alterados os nomes dessas ações para que não haja separação e confronto entre os membros da sociedade.

Leia também: Empresa paga indenização de R$ 20 mil por praticar racismo recreativo ao perguntar se funcionária ‘continua preta’

A cidade de Evanston, no Illinois, foi a primeira cidade dos Estados Unidos a pagar valores como reparação histórica pela escravidão. O projeto foi aprovado pela Câmara de Municipal de Evanston e nele prevê destinação em 10 anos de US$10 bilhões para descente direto de escravizados ou de moradores que entre 1919 a 1969 passaram por episódio de racismo.

O bilionário americano Robert Louis concedeu entrevista ao canal Vice News. Para Louis reparações históricas demanda aceitação e consciência de toda sociedade e o resultado de 200 anos da escravidão nos Estados Unidos foi o racismo sistêmico, continuou “Por essa razão aos negros foram negados US$ 13-15 trilhões de riqueza e, portanto, nós, como um país, agora devemos indenizar pagando aos negros de todas as classes – os ricos, os pobres e os de classe média – do nosso bolso”, diz Johnson.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.