Banco Central limita em até R$ 1.000 valor para transferências noturnas com PIX

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Bloqueio de horários para transferências, limitação de valores e até a escolha dos destinatários estão entre as ações que o Banco Central apresentou para melhorar a segurança do sistema de pagamentos. A decisão, anunciada nesta sexta-feira (27), tem por objetivo, segundo o órgão, reduzir a quantidade de crimes praticados por meio da plataforma. O limite de R$ 1.000 serve para transferências bancárias entre pessoas físicas usando PIX feitas entre 20h e 6h. 

Hoje, o limite para pagamentos noturnos usa como referência o limite do cartão de débito do usuário.

Durante o dia, o limite será o mesmo do TED. Os clientes poderão pedir novos limites, mas a mudança será feita após 24 horas.

O limite de R$ 1.000 para noite leva em conta, segundo o BC, que 90% das transações de Pix tem montantes iguais ou menores a R$ 500. 

Leia também: Preço da cesta básica sobe 22% e quase empata com salário mínimo

“Temos seguranças que os valores de transações são, majoritariamente, abaixo de R$ 1.000. Então, a intervenção protege o patrimônio das pessoas, não diminui usabilidade e desincentiva crimes como sequestro relâmpago”

disse o presidente do BC, Roberto Campos Neto, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

A instituição também impôs restrição para proteger clientes que fazem TEDs: instituições não poderão acolher TEDs de diferentes titularidades entre pessoas físicas e MEIs entre 20h e 6h do dia seguinte. O agendamento é feito para o dia seguinte e pode ser cancelado.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.