Mulher negra é constrangida e acusada de roubo em Curitiba

APOIE O NOTÍCIA PRETA


Por Brunna Moraes

”Culpada até que se prove o contrário”. Foi essa lógica racista que fez com que uma mulher negra passasse por momentos de constrangimento e humilhação dentro de um ônibus em Curitiba. Um vídeo que viralizou nas redes sociais na última sexta, 17, mostra o momento em que a moça é acusada de roubo e é revistada pela polícia, enquanto alguns dos passageiros observam e endossam a acusação.

O objeto furtado em questão era a carteira de uma senhora que também estava no ônibus. A mulher negra é acusada de ter sido a autora do crime e tem a bolsa revistada. Durante a abordagem, uma segunda mulher registra toda a cena e afirma que “racismo é crime”. Neste momento, é possível ouvir outros passageiros se pronunciarem com expressões como “roubar é que é crime” e “ta com dó leva pra casa”. 

Minutos depois que a carteira não é encontrado na bolsa da passageira, a vítima aponta uma segunda suspeita, de pele branca, como autora do furto. Após se constatar que a mulher branca é a real criminosa, a polícia ainda chega a perguntar a passageira negra se elas eram amigas. O vídeo da ação racista foi gravado por uma vendedora, identificada como Evelyn Duarte, e viralizou e foi compartilhado por diversas pessoas nas redes. 

Outro caso

Também este final de semana, um casal de negros foi acusado de roubo num shopping em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O casal relata que estavam na fila do cinema quando foram abordados por um homem a procura de uma carteira perdida, ao que eles disseram que não tinham visto nenhuma carteira. O mecânico Paulo César contou que ainda ajudaram na procura pelo objeto, mas não encontraram. “Aí fomos dar uma volta no shopping e ele perguntou: ‘Vocês não vão pegar um cineminha, não?’ A minha esposa, ingênua, falou para ele que íamos sim, mas vamos esperar outro horário com lugar para nós dois”, relata ele. 

Ainda segundo o casal, o homem teria insistido em perguntar sobre a carteira e pedido para ver a bolsa da esposa de Paulo César. Após isso, uma funcionária do shopping disse a carteira havia sido encontrada caída perto de uma escada rolante do local. 

A Polícia Militar foi acionada e o casal resolveu registrar um boletim de ocorrências como caso de racismo. O casal foi encaminhado até a delegacia, mas o acusado de racismo foi liberado antes mesmo de chegar ao local para registrar a queixa. Apesar do desejo das vítimas, o caso foi registrado como calúnia, pela falsa acusação de furto. 

O Shopping Rio Sul, onde a situação aconteceu, afirmou que prestou auxílio necessário e que está a disposição para cooperar com futuras investigações. 

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.