Após jogador do Londrina ser chamado de ‘macaco’, Brusque alega oportunismo do atleta

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na partida entre os times do Londrina e Brusque, válida pela 21ª rodada da série B do Campeonato Brasileiro, no último sábado (28), o jogador Celso Honorato, o Celsinho, relatou ter sido chamado de ‘macaco”, no estádio Augusto Bauer.

No final do primeiro tempo, o jogador Celsinho, que estava no banco de reservas, foi ao árbitro da partida reclamar que foi ofendido com palavras racistas por uma pessoa da arquibancada, que dizia: “vai cortar esse cabelo seu cachopa de abelha”.  

Em entrevista ao Sportv, o jogador Celsinho disse que foi chamado de macaco por um senhor que estava no camarote. “De fato aconteceu (ser chamado de macaco). Não sei se ele faz parte da comissão técnica, da diretoria. (Foi) esse senhor de vermelho que se encontra no camarote”, diz.

No domingo (29), o Brusque emitiu uma nota dizendo que torcida, diretoria, comissão técnica e patrocinadores do clube sempre foram respeitosos com relação aos princípios que regem as relações desportivas e humanas e que jamais permitiriam qualquer atitude de conotação racista. O clube diz ainda que é a terceira vez que o atleta alega ter sido alvo de racismo e nega que qualquer membro da diretoria tenha praticado tal ato.

O Brusque afirma que tomará medidas para responsabilizar o atleta pela falsa imputação de um crime. Racismo é algo grave e não pode ser tratado como um artificio esportivo, nem, tampouco, com oportunismo“, finaliza a nota.

Em julho, o narrador Romes Xavier e o comentarista Vinícius Silva fizeram comentários ligados ao cabelo do jogador. O narrador disse, durante a partida, que Celsinho estava com dificuldade de levantar por conta do peso do cabelo. Logo em seguida o comentarista dispara: “Parece mais uma bandeira de feijão, a cabeça dele, do que um verdadeiro cabelo. Não é porque estou perdendo os cabelos que vou achar um negócio imundo destes bonito”.

No segundo caso também em julho, o atleta foi alvo de racismo vindo de um narrador esportivo, durante partida entre Londrina e Remo. Cláudio Guimarães, durante a narração, disse que o jogador tinha um cabelo meio ninho de cupim. Após o ato, profissional foi afastado pela emissora.

Segundo o Uol, o Londrina vai se reunir nesta segunda-feira (30), com o jogador para se posicionar sobre o racismo sofrido pelo atleta.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.