Afro-americana Alena Wicker entrou na universidade aos 12 anos e quer ingressar na NASA aos 16

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Alena Wicker tem 12 anos, já finalizou o Ensino Médio e agora se prepara para ingressar na Universidade do Estado do Arizona no próximo mês. A menina sonha agora se tornar a mulher negra mais jovem a trabalhar para a NASA. Alena pretende alcançar este lugar aos 16 anos.

Em entrevista ao programa Good Morning America , Alena Wicker, que mora no Texas, disse que planeja obter duas especializações em Astronomia , Química e Ciências Planetárias. O objetivo de Alena é construir um rover espacial: Eu adoraria construir um veículo espacial para ir ao espaço”, contou a jovem em entrevista ao GMA.

Segundo Alena, sua paixão por ciência e tecnologia começou “ainda criança”, quando descobriu o quanto gostava de construir plataformas com Legos. Em entrevista ao GMA a menina contou que construía instalações elaboradas, do Taj Mahal à Millennium Falcon, uma façanha que, segundo ela, levou de 14 a 15 horas para ser concluída em dois dias.

Leia também: Jeanette Epps é a primeira mulher negra enviada pela Nasa para a Estação Espacial Internacional

“Ela organizava os Legos por cor, por tamanho”, disse a mãe Diane McQuarter. “Ela sempre foi minuciosa com seus Legos, e se você bagunçasse, seria um problema sério. Se você tirasse um de seus Legos do lugar, ela iria saber”.

A jovem universitária também está estudando espanhol e árabe. E apesar da idade, ela está determinada a continuar lutando pelo que quer, inspirada por uma frase que ouviu de um funcionário dos correios: “Estamos em um novo ano, em uma nova temporada, e ninguém pode nos segurar. Mantenha os pés no chão, mas você pode continuar buscando as estrelas . “

A paixão de Alena Wicker pela NASA a levou a refletir sobre a lacuna racial e de gênero que existe nos campos da ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM). Por isso, criou o site Brown Stem Girl para oferecer oportunidades a jovens afro-descendentes que desejam exercer essas profissões.

“Ela disse: ‘Mãe, eu quero criar essa cultura de garotas negras (…) Eu só quero fazer algo’”, disse McQuarter que também declarou que sua filha nunca desviou de seus objetivos, e sempre soube com o que queria trabalhar.

“Ela sempre dizia: ‘Mamãe, vou trabalhar para a NASA. Serei a garota negra mais jovem a trabalhar para a NASA'”, relatou ela.

“Durante toda a minha vida, as pessoas tentaram me segurar por causa da minha idade”, disse ela. “Estamos em um novo ano, em uma nova temporada, e ninguém pode nos segurar mais. Portanto, você pode manter os pés no chão, mas pode continuar a alcançar as estrelas.”

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.