Três meses após testemunhar latrocínio, auxiliar de farmácia vira suspeito e é preso injustamente

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O auxiliar de farmácia André Arcanjo está preso há duas semanas acusado ”sem provas” de ter envolvimento no crime do seu amigo de infância. No último dia 11 de julho, André foi visitar o amigo quando, na porta da casa, foi surpreendido por dois assaltantes. Naquele dia, o homem, 41 anos, presenciou um latrocínio, que é um roubo seguido por morte. Apesar dos traumas, cooperou com a polícia. Foi à delegacia sem advogados, prestou depoimento e forneceu o próprio celular como prova. No entanto, três meses após o caso, Arcanjo passou de testemunha a suspeito e foi preso.

”Nós do Movimento Negro Evangélico de Pernambuco nos solidarizamos com André Arcanjo, um homem negro evangélico que é inocente mas foi preso injustamente pela Polícia Civil de Pernambuco. Exigimos a liberdade imediata de André Arcanjo e uma investigação transparente e justa da Polícia. Não iremos mais admitir a criminalização de pessoas negras sem provas, sem indícios e sem considerar todas as provas apresentadas pelo André”, diz uma publicação do movimento.

André Arcanjo, 41 anos, foi preso injustamente. Família e movimentos negros cobram a liberdade. Foto: arquivo pessoal


Ainda de acordo com a publicação feita pelo movimento, várias provas foram apresentadas em defesa de André, mas a polícia ignorou todas.

”Para a polícia, nenhuma prova foi capaz de inocentar André, nem mesmo as mensagens trocadas com o amigo, a filmagem do momento do crime ou a inexistência de antecedentes criminais. Como sempre, a polícia de Pernambuco escolheu olhar para um homem negro como um criminoso, ignorando quem André realmente é: um homem íntegro, solícito, trabalhador, amável, extremamente carinhoso”, concluiu a publicação.

Abaixo-assinado
Nas redes sociais, familiares e movimentos negros de Pernambuco puxaram um abaixo-assinado para pressionar as autoridades e libertar mais um homem negro preso injustamente no estado de Pernambuco. A publicação que cobra a liberdade de André Arcanjo já soma mais de 6 mil assinaturas.


APOIO-SITE-PICPAY

Thiago Augustto

Um filho negro adotado. Thiago Augustto faz questão de marcar sua existência pela raça e pela oportunidade de viver. Transformou o tabu da adoção num grande motivo de orgulho. É criador de conteúdo e palestrante. Se formou em jornalismo em 2014, desde então, trabalha na TV Globo Recife, atuando como produtor e repórter. No Notícia Preta, é editor e coordena os colaboradores das regiões norte e nordeste. Em 2021, criou o Futuro Black - um banco de talentos e de fontes profissionais pretas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.